Casarão na área central motiva nova polêmica sobre preservação do patrimônio histórico (Paulo Bellini/Itapira News)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O início de um processo de reforma em um casarão na região central de Itapira novamente acendeu o alerta relacionado à questão da preservação do patrimônio histórico do município.

O imóvel fica na esquina das ruas Francisco de Paula Moreira Barbosa e Padre Ferraz.

Construção projetada pelo arquiteto Victorio Coppos, o casarão já teve dia fachada restaurada no passado, mas está há anos sem moradores.

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

Recentemente, foi adquirido por um empresário de Águas de Lindóia que falou hoje cedo com a reportagem e afirmou que ainda não há definição sobre o que de fato acontecerá com a edificação.

De acordo com ele, de imediato não há a intenção de demolir – contrariando os prognósticos das postagens que circulam nas redes sociais.

Informou, contudo, que um engenheiro foi contratado para avaliar a real situação do prédio, já que existem comprometimentos de parte da estrutura.

Reforma começou pelo telhado e ainda não há definição sobre abrangência da obra (Paulo Bellini/Itapira News)

Inicialmente, segundo o proprietário Quim Mourão, a reforma se concentra na troca do telhado, que está danificado. “Inclusive, recentemente já caíram telhas. Tem uma parte da estrutura que está em condições ruins”, disse.

De acordo com ele, há planos para ampliação da parte interna do imóvel e utilização para estabelecimento comercial.

“Pedi autorização da Prefeitura para fazer essa reforma inicial. Agora, preciso esperar a avaliação do engenheiro. Ainda não tem nada definido. Quero aproveitar ao máximo a estrutura existente, mas também não posso correr riscos”, finalizou.

  • RECEIO

O receio de diversas pessoas que fizeram publicações e comentaram o tema mas redes sociais é que o imóvel tenha o mesmo destino do Sobrado do Coronel Chico Vieira.

O imóvel centenário na Praça Bernardino de Campos foi totalmente demolido no primeiro semestre deste ano sob o argumento de que a estrutura estava condenada.

De fato, ao menos a olhos nus, o casarão da Praça demonstrava um processo de deterioração bem mais evidente que o imóvel que agora motiva nova discussão.

Itapira não possuo uma lei específica de proteção aos patrimônios. O episódio da demolição do sobrado abriu margem para que o assunto fosse anotado pelos vereadores na Câmara Municipal.

Foi feito, inclusive, um pedido para que o Poder Executivo estabeleça medidas para proteger imóveis considerados históricos, mas até agora não houve qualquer movimentação neste sentido.

Ou seja, sem mecanismo legal de proteção, a preservação desses casarões fica mesmo somente nas mãos do proprietário, que pode decidir livremente pelo destino do bem de sua propriedade.