Leitura é boa opção durante isolamento (Ilustração)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A escritora Goimar Dantas listou algumas dicas de como os pais podem aproveitar o isolamento social por conta da pandemia de coronavírus para tornarem-se mediadores de leitura, assim como aumentar o interesse das crianças.

Também jornalista e roteirista, ela é autora do livro A Arte de Criar Leitores: reflexões e dicas para uma mediação eficaz, pela Editora Senac São Paulo, em 2019.

A obra contém não apenas reflexões teóricas sobre o universo dos livros e da leitura, mas também traz dicas importantes para todos os que buscam despertar no outro o gosto e o amor pela prática.

A autora destaca a importância dos mediadores e afirma que, “para ser um bom mediador, basta falar de histórias com paixão, entusiasmo e amor, e aproveitar esse momento que estamos passando mais tempo juntos para fixar a atividade na rotina”.

O objetivo do mediador é, sobretudo, contagiar filhos, sobrinhos, afilhados, alunos, amigos, ou qualquer pessoa com a qual venha a conviver, mesmo que por um breve período de tempo.

Ele será o responsável por levar os ouvintes e leitores rumo à descoberta de personagens, contextos históricos, tramas e questionamentos. Em outras palavras, guiará para todo o universo da obra a ponto de provocar paixão e ajudar a promover um relacionamento com o livro que pode vir a ser definitivo.

Goimar compartilha dicas para os pais se tornarem bons mediadores de leitura:
  1. Escolha um livro ou texto de que você goste.
  2. Demonstre entusiasmo ao apresentá-lo.
  3. Comece mostrando a capa, contracapa, dizendo o nome do autor.
  4. Pratique para ter uma boa entonação durante a leitura; aliás, você pode alterar seu tom de voz dependendo dos personagens do livro e da situação que ele apresenta.
  5. Abra o livro e apresente as ilustrações, caso a obra possua.
  6. Leia o texto em voz alta e, vez ou outra, faça algumas pausas para olhar nos olhos da criança.
  7. Ajude seu filho a entrar de cabeça no universo da obra; não precisa parar para explicar as palavras difíceis do texto, mas se ele perguntar, você pode responder.
  8. Pergunte o que a criança mais gostou da história, o que sentiu durante a leitura, se já passou por alguma situação parecida ou se gostaria de viver em sua vida algo que o livro apresentou. Deixe que ela se expresse, troquem ideias, faça com que se sinta à vontade para falar ao final.
  9. Guarde essa dica: é preciso ler “com” a criança e não “para” ela. Mediar a leitura é um tipo de entrega, de dança, de ritual. Contar com a participação, a alegria e a integração do outro torna tudo mais mágico e bonito.

“A figura do mediador de leitura pode ser comparada ao arco-íris multicolorido, uma vez que aponta o caminho rumo ao verdadeiro pote de ouro que é o contato com os livros, um encontro que contribui para a diversão, prazer, alegria e, de quebra, consciência crítica, criatividade, ganho de vocabulário, capacidade de argumentação, empatia, cidadania e outras tantas benesses que advêm do hábito de ler e que simbolizam verdadeiros tesouros na vida de quem se aventurar por páginas repletas de histórias.”*

*O trecho acima foi retirado do livro A Arte de Criar Leitores: reflexões e dicas para uma mediação eficaz, de Goimar Dantas.

Goimar Dantas também é mestra em Comunicação e Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Em 2011, foi finalista do Prêmio Jabuti. É autora de obras de diversos gêneros, como o livro-reportagem Rotas literárias de São Paulo (Editora Senac São Paulo, 2014) e o romance Aquele mês de abril (2019).

Escreveu os infantis Estrelas são pipocas e outras descobertas (2013), também publicado em 2014, na Espanha; Minha boca está pelada! (2013); e Quem tem medo de papangu? (2011). Ministra palestras e cursos por todo o Brasil, sempre abordando temas relacionados à literatura e à escrita. Saiba mais em www.goimardantas.com.br