Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Um relatório divulgado pelo Governo de São Paulo indica Mogi Mirim como uma das cidades com caso suspeito de coronavírus no estado.

A informação foi divulgada na última quinta-feira (27), veiculada inclusive no portal da Secretaria de Estado da Saúde.

No entanto, a Prefeitura de Mogi Mirim rebate o dado, garantindo que não há caso suspeito na cidade e acredita em erro na inserção de dados pela pasta estadual.

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (28), o secretário municipal de Saúde, Ederaldo Moreno, disse que um paciente atendido no Hospital 22 de Outubro pode ter levantado a suposição de que haveria alguém contaminado.

Ele esteve no Canadá e nos Estados Unidos, retornando ao Brasil na segunda-feira (24). No dia seguinte apresentou sintomas como febre, dor de garganta e tosse e procurou atendimento na quarta-feira (26).

Para as autoridades locais, ele não se enquadra nos parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde para identificar possíveis casos do coronavírus, já que não viajou para países com casos confirmados da doença e nem apresentou todos os sintomas característicos.

Segundo o secretário, houve falha de procedimento do hospital ao não comunicar a suspeita para a Vigilância Epidemiológica local, conforme orientação do Ministério da Saúde. O estabelecimento de saúde, por sua vez, afirmou em nota ter feito a comunicação do caso à administração.

  • OUTRO LADO

A reportagem manteve contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Saúde. A pasta informou que os dados que alimentam a relação são enviados pelo Ministério da Saúde. A secretaria informou ainda que a relação inicial segue mantida até divulgação de novo boletim.

Já o Ministério da Saúde, em nota enviada ao Itapira News, disse que “a situação do coronavírus no Brasil é atualizada diariamente em coletiva de imprensa” e que “a pasta divulga somente os dados estaduais, não são divulgados detalhes como municípios, sexo, idade, etc”.

O Ministério da Saúde ainda orientou que “estas informações devem ser solicitadas para a Secretaria de Saúde do Estado”.

  • NO BRASIL

Após cerca de 24 horas da confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil, o número de pessoas oficialmente tratadas como suspeitas de ter o vírus no país é de 132. O Ministério da Saúde recebeu as notificações dos estados até a tarde de hoje (27), mas não analisou todos.

O ministério tem usado como critérios de determinação de casos suspeitos: ter viajado para um dos 16 países da Ásia, Europa e Oriente Médio com casos da doença; não ter viajado, mas ter tido contato com esses viajantes ou ter tido contato com o caso confirmado no Brasil.

Em todas as hipóteses, a pessoa é considerada como um caso suspeito se apresentar febre somada a um sintoma respiratório. Os 16 países considerados na definição de casos suspeitos são: Austrália, China, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Singapura, Tailândia, Itália, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes Unidos.

O ministério reforçou ainda a importância das medidas de prevenção para reduzir os riscos de contaminação da doença. A lavagem constante das mãos e evitar levá-las ao rosto e, principalmente, à boca; o uso de álcool em gel para esterilização das mãos e o não compartilhamento de utensílios de uso pessoal, como talheres, copos e travesseiros, entre outros.