Bárbara destaca motivos que levam categoria a pedir vacinas (Paulo Bellini/ItapiraNews)
publicidade

Estagiários que atuam na área da saúde estão cobrando a inclusão da categoria entre os grupos prioritários da vacinação contra o coronavírus.

Em Itapira, o movimento também encontra eco junto aos profissionais que, inclusive, já oficiou a Divisão de Vigilância Epidemiológica para cobrar um posicionamento.

Movimento semelhante foi encabeçado recentemente por profissionais do setor funerário, culminando na aplicação das doses aos agentes que têm contato direto com corpos de pessoas que foram contaminadas pelo Covid-19.

No município, profissionais das áreas médicas, farmacêutica e odontológicas já foram imunizados. A cobrança dos estagiários tem como principal argumento o fato de também estarem diretamente expostos pelo contato com o público.

“Nós contato com o público, então estamos expostos ao risco assim como os nossos colegas que já são formados e atuam em clínicas e consultórios, por exemplo”, enfatiza Bárbara Vieira, estagiária de Fisioterapia.

De acordo com ela, o grupo ao qual faz parte costuma lidar diretamente no atendimento de pacientes que se deslocam por transportes coletivos ou junto de acompanhantes, além de pessoas de outras localidades, o que reforça a exposição.

“Em alguns casos é preciso manter contato bem próximo da pessoa atendida, que às vezes não possui mobilidade e precisa de ajuda durante o atendimento”, acrescenta.

  • OUTRO LADO

Questionada pela reportagem do Itapira News a respeito do pleito dos estagiários, a Secretaria Municipal de Saúde disse que pediu orientação do CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) de São Paulo, uma vez que o município não dispõe de doses para atender o grupo.

“Se a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo fornecer as doses para esse grupo e autorizar a aplicação, o município assim procederá”, enfatiza a nota da pasta.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui