Homenagem foi instalada na entrada principal da cidade
Publicidade - Anuncie aqui também!
Estátua de Bellini passa a dar as 'boas vindas' a quem chega em Itapira
Estátua de Bellini passa a dar as ‘boas vindas’ a quem chega em Itapira
Publicidade - Anuncie aqui

No dia em que completaria 84 anos, o capitão da Seleção Brasileira de 1958 Hideraldo Luiz Bellini, morto em março passado, ganhou uma homenagem na entrada de sua terra natal, Itapira.

A homenagem é uma estátua que reproduz o gesto do então jogador de futebol ao erguer a taça da Copa do Mundo da Suécia – ato que ficaria mundialmente conhecido e seria repetido por todos os campeões mundiais do futebol brasileiro.

A escultura em bronze, instalada na principal entrada da cidade, à Rua Armando Salles de Oliveira, foi encomendada a dois escultores por um grupo de voluntários que arcou com as despesas.

A solenidade de inauguração, anunciada pelo Itapira News na semana passada, reuniu autoridades políticas, como o prefeito José Natalino Paganini (PSDB) e o deputado José Antônio Barros Munhoz (PSDB), além de secretários municipais, vereadores e familiares de Bellini, como a viúva Giselda e os filhos Carla e Hideraldo Júnior. “Neste canteiro central da entrada de nossa cidade, onde muitas vezes recepcionamos visitantes, estamos fazendo essa homenagem sincera e sentimental ao nosso capitão Bellini, que tantas vezes emocionou milhões de brasileiros. A partir de hoje, sua imagem vitoriosa será o primeiro aceno de recepção aos que chegam a nossa cidade”, disse Paganini ao abrir a cerimônia, por volta das 16h30. “Infelizmente, a Copa de 2014 não terá o capitão Bellini, mas o Brasil não teria a Copa de 2014 se não tivéssemos tido o capitão Bellini”, enfatizou Paganini.

Grande público acompanhou a entrega da homenagem
Grande público acompanhou a entrega da homenagem

A estimativa é que cerca de 200 pessoas tenham prestigiado o ato, que contou com a presença da Banda Lira Itapirense executando o Hino Nacional e outras canções. Bandeirinhas confeccionadas em papel foram distribuídas aos presentes, trazendo a reprodução de uma flâmula autografada pela delegação da Seleção que atuou na Suécia – presente de Bellini ao amigo Caetano Munhoz, pai do deputado presente na solenidade. “Eu tive o privilégio de conhecer o Bellini e de vibrar com suas lutas e conquistas. Mais que isso, pude me orgulhar da amizade dele com meu saudoso e inesquecível pai. Ele (Bellini) sempre trazia de suas viagens pelo mundo alguma lembrança para mostrar seu carinho ao meu pai, e ele trouxe essa flâmula que dedicou ao meu pai, asssinada por todos os membros da delegação, exceto pelo Pelé. Perguntei ao Pelé o motivo e ele disse que não se lembrava, talvez tenha sido algum desencontro e se prontificou a assinar, pois realmente é uma relíquia”, comentou Munhoz em seu discurso. “Cumpro aqui um dever de cidadão e de político de honrar aqueles que construíram nossa terra”, acrescentou o deputado, classificando o homenageado como “o maior itapirense de todos os tempos”.

Munhoz agradeceu a presença da esposa e filhos de Bellini e disse que gostaria que o ex-prefeito e sobrinho do homenageado, Antonio Hélio Nicolai, o Toninho Bellini, estivesse também presente. “Questões políticas nos separaram, mas nada haverá de separar o amor por Itapira, a união do nosso povo e o culto àqueles que construíram nossa querida Itapira”, discursou. Toninho Bellini, já na semana passada, havia comentado que talvez não participasse da solenidade devido a outros compromissos já agendados.

Giselda Bellini, viúva do homenageado, se emocionou ao ver a escultura
Giselda Bellini, viúva do homenageado, se emocionou ao ver a escultura

Bastante emocionada, Giselda Bellini também falou aos presentes e lembrou o carinho do esposo pela sua terra natal. “Bellini foi leal, querido e amigo de todos, e ainda um marido e pai de família exemplar. Não faz muito tempo que aqui estivemos para trazer de volta a Itapira esse filho que jamais esqueceu sua cidade, que nunca desperdiçou qualquer oportunidade de rever seus amigos e familiares”, disse, lembrando o desejo do herói do futebol brasileiro em ser sepultado em sua terra natal. “Nós o trouxemos de volta e cumprimos a triste missão de deixá-lo em seu berço natal para o sono eterno”, frisou. Ela também agradeceu a todos os presentes, ao Poder Público e aos responsáveis pela homenagem. “Hoje, Itapira decidiu dar vida à memória de Bellini. Hoje estamos aqui para acompanhar a inauguração deste belo monumento em espaço público, através do qual Bellini começa a trabalhar seu papel de levar seu exemplo às novas gerações”, disse.

Na sequencia, o pano que cobria a estátua foi descerrado, revelando o monumento e arrancando aplausos do público, sob a execução da música ‘A Taça do Mundo é Nossa’, composta especialmente para as comemorações após a vitória da Seleção capitaneada por Bellini em 1958. Gritos de ‘Viva Bellini’ e a execução do Hino de Itapira encerraram a solenidade. Por volta das 17h30.

Homenagem foi instalada na entrada principal da cidade
Homenagem foi instalada na entrada principal da cidade