A diretora Taís, professora Natália e a coordenadora Alessandra junto da aluna Talita (Divulgação)
publicidade

Com a redação ‘Intolerância, até quando?’, a estudante do 9º ano do Ensino Fundamental da escola Sesi de Itapira, Talita Helena Franco Palomo, 14, ficou em quinto lugar entre os 10 finalistas do concurso EPTV na Escola de 2021.

O concurso de redação promovido pela EPTV, afiliada da Rede Globo, é aberto aos estudantes do último ano do Ensino Fundamental das escolas da rede municipal, estadual (incluindo o EJA – Educação de Jovem e Adulto), particular e Sesi das cidades de cobertura da emissora.

O objetivo é que a comunidade escolar reflita e discuta assuntos relevantes para toda a sociedade ao mesmo tempo em que exercita a arte da escrita. Por isso, este ano o tema foi “Pandemia da Intolerância”.

Como prêmio, Talita ganhará um televisor e a professora de Língua Portuguesa, Natália  Cristina Grosso Sartori, orientadora, um assistente de voz interativa com Inteligência Artificial.

Além disso, a  EPTV vai produzir reportagens com os 10 finalistas baseadas nas redações. As gravações estão marcadas para acontecer entre outubro e novembro e a premiação em dezembro. “Foi uma surpresa e estou muito feliz”, disse a aluna.

Na região da EPTV Campinas, que inclui Itapira, participaram 45 municípios sendo que 283 redações semifinalistas passaram pela leitura e avaliação dos jurados.

Porém, a peneira começou antes, a primeira seleção aconteceu nas escolas e depois a Secretaria de Educação dos municípios fez outra avaliação encaminhando cinco redações à EPTV. No total foram 9.570 participantes.

  • EXPERIÊNCIA PESSOAL 

Para compor seu texto, Talita buscou experiências pessoais. No ano passado, a jovem perdeu o avô vítima de câncer.

“Ele ficou internado, mas não podíamos visitar por causa da pandemia. Foi muito triste. Ele morava com a gente”, conta. Além disso, o pai da estudante teve Covid e a família também enfrentou a insegurança da doença. “A gente não sabia como seria a evolução”, lembra.

Das recomendações para evitar o contágio do coronavírus, Talita considera o distanciamento a mais difícil, “sou muito de abraçar e de tocar nas pessoas então isso é bem complicado”.

A estudante conta que também abordou a xenofobia em sua redação “pessoas maltratando orientais como se fossem culpados pela pandemia”, lamentou. Sobre a participação no concurso, Talita mencionou o apoio que recebeu da escola, da professora e acredita que seu gosto pela leitura ajudou.

“Adoro ler, acho que faz toda diferença na minha vida. Aprendo novas palavras, conheço culturas, viajo junto com o livro. É como se eu fizesse parte da história”.

A estudante diz que tem preferência pelos livros de ficção, romance e aventura e deixa um recado para quem não tem esse hábito, “o legal é encontrar o que você gosta de ler, experimentar, mas tem que ser persistente não pode desistir na primeira página”. 

  • CONQUISTA DE TODOS 

“A conquista da Talita é da escola como um todo”, considera a diretora Tais Cristiane de Lima.  Ela lembra que a jovem é aluna do Sesi de Itapira desde o 1º ano do Ensino Fundamental.

“A proposta de Ensino do Sesi-SP valoriza a leitura na escola e isso vem sendo trabalhado ao longo dos anos. Por isso, considero uma conquista dos professores, da coordenação pedagógica, das famílias e um incentivo para os nossos estudantes”.

A coordenadora pedagógica Alessandra Tonini Buscariolli e a professora de Língua Portuguesa, Natália Cristina Grosso Sartori, ressaltaram que mesmo quando as aulas estavam sendo realizadas apenas no formato online, a leitura não foi deixada de lado. “Usamos muito a Biblioteca Virtual do Sesi-SP”, contou Natália.

A professora também mencionou a importância das pesquisas e discussões na sala de aula. “O tema do concurso EPTV na Escola foi pesquisado e discutido pelos alunos, o que enriquece o conhecimento”.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui