O vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB) confirmou no início da tarde desta sexta-feira (26) a prorrogação, por mais 15 dias, da fase emergencial do Plano São Paulo.

O conjunto de medidas mais restritivas inicialmente valeriam até a próxima terça-feira (30), mas agora será estendida até dia 11 de abril.

O anúncio foi feito na coletiva de imprensa do Palácio dos Bandeirantes, sem presença do governador João Doria (PSDB).

As regras da fase seguem as mesmas, com suspensão de todas as atividades consideradas não essenciais, o chamado ‘toque de recolher’ a partir das 20h00, tele-trabalho obrigatório para atividades administrativas não essenciais e somente serviços de delivery e drive-thru em restaurantes e lanchonetes, por exemplo.

A justificativa do governo é a piora nos indicadores da pandemia no Estado de São Paulo, com altas taxas de ocupação hospitalar, aumento do contágio e do número de óbitos. O Centro de Contingência do Coronavírus considera que o período de restrição de circulação de pessoas é fundamental para frear ao avanço da doença.

Apesar disso, as duas últimas semanas não registraram queda na escalada de casos, das mortes e das internações por Covid-19. Na prorrogação da fase emergencial também não foram apresentadas novas restrições, como fechamento de supermercados e outros serviços classificados como essenciais.

Publicidade - Anuncie aqui