Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

do PortalMegaphone

Banda Sepultura anunciou o cancelamento (Divulgação)
Banda Sepultura anunciou o cancelamento (Divulgação)

O festival ‘Caipira Crazy’, que aconteceria no próximo sábado, 24, e que teria a banda Sepultura como principal atração, foi cancelado. O anúncio foi feito na sexta-feira passada pela empresária do grupo, Monika Cavalera, e reiterado pelo guitarrista Andreas Kisser.

Ambos publicaram, em suas redes sociais na internet, que o grupo não mais se apresentaria no município. A realização do show foi anunciada em fevereiro, com data programada para abril. Depois, a organização anunciou o adiamento para julho, o que também não aconteceu. Finalmente, o show foi marcado para agosto, com novo cancelamento ocorrendo. O evento seria abrigado no Recinto Agropecuário ‘Carmem Ruete de Oliveira’.

Além do Sepultura, o festival também teria as banda Tolerância Zero, Slasher, Machinage Masked Magoots (Slipknot Cover), The Ordinary Sins, Red John, Mr. Speed, Rolling Smoke e Calangos do Cerrado (Raimundos Cover), além de contar com discotecagem a cargo do DJ Lai. Tanto a BS 2 Produções Artísticas, responsável pela agenda do Sepultura, como a Agência Status Produções e Eventos, organizadora do evento em Itapira, alegaram apenas “quebra contratual” como sendo o motivo para o cancelamento, sem especificar o que realmente levou à ruptura do acordo. Formado por Derrick Green (vocal), Andreas Kisser (guitarra), Paulo Jr (baixo) e Eloy Casagrande (bateria), o Sepultura traria para a cidade o show que integra a turnê do último disco, ‘Kairos’, lançado há dois anos.

A notícia sobre o cancelamento pegou o público de surpresa e gerou pesadas críticas, especialmente na Internet, por meio das redes sociais e sites especializados. Em nota, a BS 2 disse que o “cancelamento se faz necessário para que possamos preservar a qualidade e o respeito que temos aos fãs da banda Sepultura”. A nota ainda enfatizou que “explicações complementares” devem ser buscadas junto aos organizadores do evento. A nota, na íntegra, está disponível no site do evento (www.caipiracrazy.com.br).

Já a Agência Status publicou um comunicado em sua página, em uma rede social, na internet. “Venho, em nome da Agência Status, pedir desculpas para os fãs da banda e que estavam esperando muito o Show do Sepultura em Itapira”, comenta o texto que, contudo, não identifica seu autor. A nota justifica que “duas semanas antes do evento” foram solicitados documentos que os organizadores não tinham em mãos, o que acabou inviabilizando o evento. “Realmente ouve (sic) a quebra de contrato por parte da organização do evento”, destaca o texto, que informa ainda que uma reunião com os representantes da banda foi agendada e aconteceria ontem em São Paulo, “para tentar resolver da melhor maneira possível esse problema e tentar remarcar a apresentação”.

A nota da Agência Status ainda toma totalmente para si a organização do festival, enfatizando que outras pessoas e grupos citados nos materiais de divulgação não figuram entre os organizadores e que, portanto, não possuem responsabilidade. “Deixamos claro também que a organização do evento é somente da Agência Status”, diz a nota, isentando de responsabilidade o grupo ‘Os Bodão’, idealizador do evento, e a Agência Soluciona, contratada para criar o material de publicidade do festival. A nota ainda pede que “qualquer reclamação deve ser direcionada para o email [email protected]”. A empresária Monika Cavalera chegou a afirmar, ainda na sexta-feira, que o motivo do cancelamento envolvia falta de pagamento do cachê. “Contratante não pagou o show, simplesmente saiu vendendo ingresso sem pagar a banda, pediu até hoje (sexta-feira) para pagar e não cumpriu”, declarou.

A informação foi rebatida em outro comentário postado pelo perfil da Agência Status na rede social. “Quando eles do Sepultura (sic) falam que o show não foi pago, também não está totalmente correto, pois uma parte de acordo foi pago sim e temos comprovantes disso”. Consta ainda a informação de que “alguns problemas políticos e burocráticos também foram principais fatos a resultarem no cancelamento”. O texto também informa que uma coletiva de imprensa será convocada para esclarecer os detalhes do ocorrido.

Na manhã de ontem, através do email informado, a reportagem do PortalMegaphone enviou questionamentos aos organizadores. Entretanto, o email retornou. Outras duas tentativas de envio foram feitas, e o problema persistiu. Também foi tentado contato por meio de dois números telefônicos passados à reportagem, mas as ligações não foram completadas. Segundo a nota dos organizadores, dentro de duas semanas serão divulgadas as formas de devolução do dinheiro às pessoas que já haviam adquirido os ingressos, comercializados em lotes com valores de R$ 35,00 e R$ 45,00.