Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Uma história emocionante e que ganhou uma grande proporção especialmente entre profissionais de fotografia em todo o Brasil foi registrada nesta semana. E os protagonistas desse caso foram um menino de 14 anos, morador no interior do Ceará, e a fotógrafa itapirense Natália Freitas, que atualmente reside e trabalha em Jaguariúna (SP).

Tudo começou com a postagem de um pedido de ajuda em um grupo no Facebook. No texto, Samuel Alves contou que seu sonho é ser repórter e pediu a doação de uma câmera fotográfica, publicando inclusive uma imagem ilustrativa de uma câmera da Canon com valor aproximado superior a R$ 2 mil.

O objetivo, segundo o pedido, era melhorar sua estrutura de transmissões pela internet. As respostas no grupo, porém, não foram muito empáticas ao apelo do garoto. Diversos internautas passaram a ironizar o pedido, inclusive dizendo que queriam também a doação de um carro.

De origem humilde, Samuel chegou a responder alguns comentários. Em um deles, disse ter ciência de que a câmera era muito cara e que realmente não acreditava que conseguiria uma doação. Um dos comentários também afirmou que ninguém iria doar o equipamento.

Até que a postagem chegou ao conhecimento da fotógrafa, que ao ler os comentários satirizando um pedido sincero, tomou a decisão de ajudar o menino. No mesmo post ela respondeu ao Samuel. “Sou fotógrafa e tenho uma câmera desta para te dar de presente. Será uma honra te dar a câmera que comecei a fotografar. Ela é uma câmera que me trouxe muito sucesso e com certeza trará para você. Acredito em você e jamais permita que alguém tire seu amor na reportagem”.

A atitude de Natália não demorou a viralizar e o assunto foi parar até mesmo no grupo oficial do Wedding Brasil, maior congresso de fotografia da América Latina, cujo fórum reúne mais de 50 mil membros da comunidade de fotógrafos de casamento, com profissionais do Brasil e do mundo todo.

“Entrei em contato com ele e já combinamos que a entrega da câmera será pelo Correio. Em nenhum momento fiz isso pensando em marketing, ajudo outras pessoas de diversas maneiras e nunca precisei nem quis mostrar. Mas esse assunto viralizou por ser algo público, na internet, ganhou uma proporção que eu não imaginava. Um turbilhão de emoção e de acontecimentos tomaram conta de mim”, relata Natália, emocionada.

De acordo com a fotógrafa, ela decidiu agir da melhor forma possível ao se deparar com a postagem e com a “a arrogância do ser humano em zombar de um menino de apenas 14 anos cujo sonho é ter uma câmera profissional e ser repórter”. “Agi de coração, sem esperar nada em troca. Comentei o post, telefonei a ele e fiz a doação. A câmera será enviada na segunda-feira pelos Correios”.

  • GRATIDÃO

Samuel mora em uma cidade pequena do interior do Ceará, distante cerca de 400 quilômetros da capital Fortaleza. Criou um canal no Youtube e sonha em se tornar repórter. Quer cursar jornalismo. De origem humilde, é também tímido – barreira que consegue superar diante das câmeras.

E foi justamente dessa forma que ele resolveu agradecer publicamente a fotógrafa itapirense pela ajuda e incentivo. Ele gravou e publicou um vídeo. “É uma pessoa de bom coração e agora eu vou chamá-la de madrinha. Agradeço a ela pela câmera. Se não fosse ela, eu não teria realizado meu sonho. Agora ela é a minha madrinha”, diz Samuel. Diante da repercussão do caso, um grupo de fotógrafos também está tentando viabilizar a ida de Samuel à Wedding Brasil – o evento acontece em São Paulo na próxima semana.

Para Natália, a oportunidade de poder ajudar o garoto tem um significado muito especial. “A câmera também era um desejo meu para me dedicar ao meu sonho. Larguei emprego fixo para estudar fotografia e me aventurar em uma nova carreira. Poucos acreditaram em mim, mas eu consegui. Foram anos de muito estudo e batalhas. Hoje posso doar uma câmera que me trouxe tanta felicidade e contribuir com o sonho de um menino. E que honra fazer parte desse sonho agora, que honra ouvir dele que agora sou sua madrinha”, diz a fotógrafa.

Sobre os comentários que ironizaram e tentaram desmotivar os objetivos de Samuel, Natália não titubeia. “Quem somos nós para barrar o sonho de uma criança? Quem somos nós a ponto de sermos egoístas e destruir o sonho de uma criança? Não permito, não aceito. De mim, isso jamais sairá. Julguem menos e façam mais. Espero que atitudes como a minha sejam cada vez mais comuns”, finaliza.