Funcionários da Nutron participaram de assembleia na terça
Publicidade - Anuncie aqui também!
Funcionários da Nutron participaram de assembleia na terça
Funcionários da Nutron participaram de assembleia na terça
Publicidade - Anuncie aqui

Mais de 200 funcionários da Nutron Alimentos participaram de uma assembleia geral na manhã de terça-feira (15) na porta da empresa situada no distrito industrial ‘Hermelindo Ruete de Oliveira’, região de Barão Ataliba Nogueira.

A mobilização, que começou às 07h00, foi organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Itapira e terminou com a aprovação da proposta de paralisação total das atividades. Contudo, a greve ficou apenas na teoria, com os funcionários continuando a trabalhar após a deliberação.

A pauta de negociações da categoria reivindica aumento real de 5%, mais correção inflacionária do período 2013-2014, de 5,8%, além de ticket-alimentação no valor de R$ 150,00. A empresa ofertou reajuste 8% no piso e de 7,5% nos demais salários, mais 30% de aumento no valor do ticket, que assim sobe dos atuais R$ 100,00 e vai para R$ 130,00.

A proposta, contudo, não foi aceita pelos funcionários que rejeitaram a oferta em duas assembleias – a primeira no dia 10 e, a segunda, na terça, quando foi feita a votação para deliberar sobre a greve. O procedimento ocorreu mediante depósito de cédulas em uma urna contendo as opções “sim” ou “não”. Ao responder positivamente, o trabalhador manifestava sua concordância com a paralisação do trabalho, enquanto que a resposta negativa não apoiava a greve.

Ao todo, 126 funcionários votam “sim”, fazendo com que a greve fosse decretada pela entidade sindical; enquanto que 86 votaram contrariamente ao movimento grevista. “Acho que agora a empresa não tem dúvidas de que o trabalhador está descontente. Em uma votação prevalece a vontade da maioria. Respeitamos quem votou contra a greve, mas pedimos que acompanhe os demais, pois estão todos no mesmo barco. Deixa que os gerentes toquem a empresa, e os trabalhadores vão permanecer aqui fora, pois está decretada a greve”, anunciou o presidente do Sindicato, José Emílio Contessoto, após a contabilização dos votos, às 07h54.

Contessoto conduziu encontro que terminou com aprovação de greve
Contessoto conduziu encontro que terminou com aprovação de greve

Entretanto, a maioria dos funcionários presentes na assembleia foi para o interior da empresa, ignorando os alertas dos sindicalistas para que não retornassem às atividades. Agora, segundo o dirigente sindical, os funcionários da unidade fabril da Nutron em Itapira seguem produzindo, mas ainda em estado de greve, podendo suspender as atividades a qualquer momento.

Para ele, a decisão dos trabalhadores de continuar trabalhando mesmo depois de votar favoravelmente à greve reflete o “medo de retaliação”. “Embora a decisão tenha sido pela greve, infelizmente o poder falou mais alto. Não é o sindicato que faz greve, são os trabalhadores, e a pressão e o assédio moral em cima de cada funcionário foram grandes durante a semana”, criticou. “Os trabalhadores têm medo de retaliação, hoje ficaram filmando (a assembleia), então eles preferem garantir o pouco a ficar sem nada. Mas não estamos derrotados. Não vai ter acordo assinado, não vamos aceitar a proposta”, completou, afirmando que a entidade sindical continuará cobrando, da empresa, o atendimento às reivindicações contidas na pauta.

ACORDO FOI FEITO EM CONVENÇÃO ESTADUAL, DIZ EMPRESA

Desde 2011 a Nutron pertence ao grupo multinacional Cargill. A unidade fabril instalada em Itapira emprega aproximadamente 270 funcionários atualmente, segundo o Sindicato. Em nota, a empresa informou que negocia os reajustes salariais por meio seu sindicato patronal – o Sindirações (Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal) – e pela Fetiasp (Federação dos Trabalhados da Indústria de Alimentação do Estado de São Paulo).

Segundo a assessoria de imprensa da Cargill/Nutron, a convenção fechada a nível de Estado concede “reajuste de 8% no piso da categoria, 7,5% nos demais salários, e 30% de reajuste na cesta alimentação, que abrange os funcionários da unidade  industrial instalada em Itapira, relativos ao Acordo Coletivo de Trabalho 2013/2014”.

De acordo com a nota, a proposta em questão já foi aprovada por 38 sindicatos de trabalhadores da indústria de alimentação do Estado de São Paulo. “A negociação entre a empresa e o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Alimentação de Itapira está sendo realizada, mas até o momento não houve um acordo comum, não sendo aceita pelo Sindicato de Itapira. A empresa reitera sua disposição para o diálogo e  mantém sua posição de negociação junto à Federação Estadual, o Sindicato Patronal e o Sindicato de Itapira”, finalizou o texto. E empresa não comentou as acusações do presidente do Sindicato de que teria pressionado os funcionários. Até ontem, conforme apurado pela reportagem, as atividades na Nutron seguiam normalmente.

Publicidade - Anuncie aqui