Funcionários dos Correios fizeram protesto na quinta-feira
Publicidade - Anuncie aqui também!
Funcionários dos Correios fizeram protesto na quinta-feira
Funcionários dos Correios fizeram protesto na quinta-feira
Publicidade - Anuncie aqui

Deflagrada em âmbito nacional na terça-feira (15), a greve dos funcionários dos Correios segue com adesão parcial em Itapira.

O atendimento nas agências não foi afetado, mas alguns serviços estão suspensos ou limitados. Já as entregas de correspondências e encomendas podem sofrer atrasos.

Até sexta-feira (19), porém, oito dos 22 carteiros que atuam no CDD (Centro de Distribuição Domiciliária) estavam inseridos na paralisação que pleiteia reajuste e melhores condições trabalhistas.

A paralisação é encabeçada, principalmente, por carteiros que atuam a pé ou em bicicletas. A equipe motorizada segue em atividade. A adesão local representa 36% do efetivo de carteiros do CDD, que na manhã de quinta-feira (17) fizeram uma manifestação, em frente à agência central dos Correios, na Praça Bernardino de Campos. Com nariz de palhaço e apitos, os grevistas buscaram garantir maior visibilidade ao movimento e tentaram convencer os colegas atendentes a engrossarem a greve no município.

A paralisação é coordenada pelo Sintect (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos). A categoria pleiteia reposição da inflação e mais 10% de aumento real, além de reajuste no vale-alimentação. A ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos), contudo, fez proposta que não inclui reajuste, mas sim uma gratificação mensal de R$ 150,00 e mais R$ 50,00 a partir de janeiro até agosto do próximo ano. Somente 25% desses R$ 200,00 seriam efetivamente incorporados aos vencimentos no próximo ano, quando os benefícios também receberam reajuste de 9,56%.

A empresa também quer instituir cobrança mensal pelo plano de saúde, descontando 12,8% do salário bruto. Hoje, os funcionários somente pagam pelo benefício quando fazem uso do mesmo. Até anteontem, não havia qualquer intenção de acordo entre as partes. Uma assembleia está marcada para ocorrer em São Paulo, amanhã cedo. Em Campinas também haverá assembleia, na qual deverão estar presentes os trabalhadores itapirenses, conforme apurou a reportagem.

SERVIÇOS

Em nota, a ECT confirmou a paralisação parcial em Itapira e disse que serviços como entregas de Sedex e Banco Postal estão disponíveis. O mesmo não ocorre com os serviços com hora marcada e interestaduais.

A empresa informou que o movimento se concentra na área de distribuição e que, na quarta-feira – primeiro dia da greve – a adesão representou 7% do efetivo de carteiros no interior paulista. “Nessas localidades, os Correios estão aplicando o Plano de Continuidade de Negócios, que inclui ações como deslocamento de empregados entre as unidades, apoio de pessoal administrativo e realização de horas extras. Caso haja necessidade, a empresa também pode promover mutirões para entrega nos fins de semana. Os serviços de hora marcada postados e entregues no mesmo Estado foram mantidos nas localidades em que não há paralisação”, destacou o texto enviado à redação.

Segundo a nota, a proposta apresentada à categoria “representou um esforço financeiro dos Correios para evitar a paralisação” e foi aceita por 16 dos 36 sindicatos que representam os funcionários em diversos estados. “A empresa está tomando as ações necessárias para que haja a completa normalização da prestação dos serviços a seus clientes e a toda a sociedade brasileira no menor prazo possível”, finalizou o texto emitido pela Diretoria Regional do Interior Paulista do Correios.

Também em nota, o Poupatempo alertou que o serviço de remessa postal de documentos pode ficar comprometido diante da paralisação dos Correios. O órgão oferece a opção de remessa postal da Carteira de Identidade e da Carteira Nacional de Habilitação. “Em virtude da greve dos Correios, o Poupatempo lamenta não poder garantir temporariamente essa comodidade e agradece a população pela compreensão”, enfatizou o texto.

Publicidade - Anuncie aqui