Jugni com o gatinho 'Abóbora', que ilustra a capa do grupo (Divulgação)

Criado há exatos oito anos – em 20 de fevereiro de 2013, no Facebook – o grupo Adote um Animal se tornou referência em divulgações relacionadas à causa animal em Itapira.

O espaço virtual ultrapassou recentemente a marca dos 10 mil participantes que publicam ou acompanham as informações.

Os integrantes passam por uma avaliação detalhada antes de serem aceitos no grupo, segundo o publicitário Guilherme Jugni, 39, que idealizador do fórum na rede social.

“Tenho um crivo gigantesco. Perfis comerciais e pessoas sem foto de perfil, por exemplo, não entram. Também faço a moderação das postagens, tudo é aprovado previamente. Com isso, temos hoje mais de 10 mil pessoas realmente ligadas à causa animal”, comenta.

A preocupação do fundador é justificada pela necessidade de manter um ambiente saudável e que corresponda, de fato, aos objetivos da iniciativa. Propagandas comerciais, por exemplo, somente são permitidas se o produto ou serviço tiver algum benefício para animais carentes.

Na descrição do grupo, o recado é claro: “todo animal tem direito a um lar, comida e carinho”. Ele conta a a ideia de criar o grupo surgiu devido à percepção de que muitas pessoas utilizavam outros canais, como os de trocas e vendas, para divulgar casos de animais desaparecidos ou que precisavam de um lar.

Fórum virtual contribuiu com buscas e campanhas de adoção (Divulgação)

“Já existiam vários grupos de trocas com um alcance muito grande, passando de 100 mil participantes, e sempre existiram as publicações de animais, tanto pra adoção quanto pra animas perdidos”, lembra Jugni.

“Então, um dia conversando com uma amiga, decidi criar um grupo focado exclusivamente em adoção e causa animal. O nome básico é estratégico justamente para que todos possam encontrar com facilidade”, enfatiza.

Pouco a pouco o volume de participantes foi crescendo. E o de publicações e interações, também. Hoje, o Adote um Animal se tornou referência na cidade para muitas pessoas que desejam adotar um animal, divulgar algum desaparecimento ou mesmo solicitar ajuda para outros casos.

“Fico feliz demais com esse grupo, muitas vezes alguém posta um animal perdido lá e depois consegue encontrá-lo”, enfatiza o fundador, que desde o início do trabalho conta com apoio da loja agropecuária Agrojúlio, na forma de patrocínio, cujo valor é revertido para custear castrações ou medicamentos veterinários.

A relação de Jugni com o grupo é tão íntima que seu próprio gato de estimação, o ‘Abobrinha’, ilustra a capa do canal virtual. “São vários anos acompanhando o crescimento dele junto com o grupo”, finaliza.

Publicidade - Anuncie aqui