Homem é baleado após fugir de abordagem e disparar contra PM nos Prados

Motociclista em atitude suspeita não obedeceu ordem de parada

Arma e drogas foram apreendidas (Divulgação)

Um homem foi baleado em Itapira no início da tarde desta quarta-feira (5), depois de tentar fugir de uma abordagem policial e efetuar um disparo contra a guarnição da Polícia Militar. O caso aconteceu na Avenida Brasil, bairro dos Prados, mais precisamente nas proximidades do viaduto sobre a Rodovia SP-352 (Itapira-Jacutinga).

O suspeito foi identificado como sendo Gabriel Azevedo, que já tem passagens pela polícia e que havia deixado a prisão recentemente. De acordo com o registro da ocorrência, uma equipe da ROCAM (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas) fazia patrulhamento pela região do Istor Luppi quando se deparou com o indivíduo, que pilotava uma motocicleta Honda/XRE-300 em sentido contrário.

Suspeitando do rapaz já conhecido nos meios policiais, os soldados deram ordem de parada, que não foi atendida pelo condutor da moto. Em vez disso, ele tentou se evadir e foi iniciada uma perseguição. Contudo, nas proximidades do viaduto, Azevedo perdeu o controle da motocicleta e atingiu outra moto que trafegava pela via, com os dois pilotos sofrendo queda.

Ainda assim, ele saiu correndo com direção à rodovia, sempre mantendo uma das mãos na cintura, o que fez os policiais suspeitarem de que ele estivesse armado. Na sequência, o suspeito sacou um revólver e efetuou um disparo contra os PMs, que revidaram, com o indivíduo sendo atingido em uma das pernas. Mesmo ferido, ele ainda tentou fugir, mas acabou sendo detido.

Os policiais acionaram o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que socorreram Azevedo até o Pronto-Socorro do Hospital Municipal. Ato contínuo, a residência do suspeito foi vasculhada pelos policiais, que encontraram no local um tijolo de maconha e várias porções da mesma droga. Até a manhã desta quinta-feira (6), o suspeito permanecia internado com escolta policial. Segundo apurado pela reportagem, depois de ter alta ele seria apresentado na Delegacia de Polícia, onde deveria ser indiciado e novamente preso.