Horário de verão acaba neste domingo. Relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste (Arquivo/Agência Brasil)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Horário de verão acaba neste domingo. Relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste (Arquivo/Agência Brasil)
Horário de verão acaba neste domingo. Relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste (Arquivo/Agência Brasil)
Publicidade - Anuncie aqui

O horário de verão acaba neste domingo (21), a partir da meia-noite, quando os relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

A medida, em vigor desde outubro, visa reduzir a demanda de carga no sistema de energia elétrica em horários de pico de consumo, que normalmente ocorre das 18h00 às 21h00, reduzindo o consumo e estimulando o uso racional e adequado da energia, com maior aproveitamento da luz natural.

A iniciativa foi aplicada pela primeira vez no Brasil no verão de 1931/1932. A atual edição do horário de verão começou no dia 18 de outubro e possibilitou uma economia de R$ 162 milhões, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O órgão informou que o esquema resultou em redução da demanda no horário de pico de consumo da ordem de 2.598 MW, sendo 1.950 MW no subsistema Sudeste/Centro-Oeste e 648 MW no subsistema Sul.

A economia foi possível porque, com o horário diferenciado, não foi preciso adicionar mais energia de usinas termelétricas para garantir o abastecimento do país nos horários de pico. A diminuição de demanda equivale a uma redução de energia de 0,5% da carga nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, onde o horário de verão foi implementado. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, nos últimos dez anos o horário diferenciado em parte do país durante o verão tem possibilitado uma redução média de 4,6% na demanda por energia no horário de pico.