Paulo e Letícia, do Balangandã: adaptações no trabalho (Paulo Bellini/ComunicaConteúdo)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O Instituto Balangandã também precisou se adaptar para continuar oferecendo suas atividades durante este período de quarentena. E, para isso, o ambiente virtual se tornou um forte aliado.

Segundo a coordenação, as aulas e conteúdos destinados às turmas de Musicalização e também de Canto Coral Cênico estão sendo compartilhados por meio de grupos criados em aplicativo de mensagens instantâneas.

O público em geral também acompanha o trabalho por meio de publicações nos canais oficiais do Balangandã nas redes sociais Facebook e Instagram.

“Por meio dessa adaptação momentânea nós conseguimos manter o vínculo entre o Instituto Balangandã e seus alunos, estimulando o contato com a música e com os conteúdos iniciados anteriormente a este período de isolamento e distanciamento social”, comenta Paulo Bazani, gestor do instituto.

De acordo com a educadora Letícia Fernandes, coordenadora pedagógica do Balangandã, as atividades envolvem apreciação musical, brincadeiras e canções da cultura da infância, jogos teatrais, construção de instrumentos e brinquedos, prática instrumental orientada de flauta doce, aquecimentos e aperfeiçoamentos vocais, acompanhamentos melódicos e harmônicos, entre outras possibilidades.

“Ainda pensando na atual situação, estamos trabalhando conteúdos que envolvam não só o aluno, mas todo seu grupo familiar. É uma forma de incluir todos que estão na casa nas atividades propostas pelo Balangandã a seus alunos, reforçando assim os laços afetivos e gerando entretenimento, aprendizado e diversão, o que vai bem de encontro à nossa proposta”, destaca.

  • REGISTRO

Os educadores do Instituto Balangandã estão elaborando atividades semanais que permitam a continuidade dos temas que vinham sendo abordados inicialmente. As aulas presenciais foram suspensas no dia 16 de março na sede do instituto, em consonância com as recomendações das autoridades sanitárias.

Cada atividade proposta leva em conta os materiais que cada aluno possa ter em sua casa. Os conteúdos são oferecidos por meio de materiais em texto, fotos, áudio e vídeos, com objetivo de envolver os alunos por, pelo menos, 30 minutos.

Foi criado ainda um sistema de registro do planejamento e da execução das atividades de cada educador por meio de um formulário digital. Esse registro é muito importante para que o Instituto Balangandã possa prestar contas das atividades realizadas durante a quarentena.

“Esperamos que com essas medidas possamos manter o atendimento e engajamento entre o Balangandã e seus alunos/familiares, por intermédio dos educadores e direção. Buscamos uma maneira de dar continuidade nas atividades e no cronograma de execução a fim de evitar maiores prejuízos aos beneficiários do Projeto Balangandã – Música, Movimento e Linguagem”, finaliza Paulo Bazani.

Vale lembrar que as atividades contam com apoio do ProAC (Programa de Ação Cultural) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, com patrocínio do Laboratório Cristália e da Haes, além da Funarte – Fundação Nacional das Artes por meio do edital Funarte Descentrarte 2019.

“São apoiadores que têm sua importância destacada com ainda mais ênfase em períodos como estes, onde, por meio da ampliação, difusão e fruição da cultura e bens culturais, torna possível envolver e estreitar laços e vínculos entre famílias e cidadãos, formando novos cenários na sociedade”, conclui Letícia Fernandes. Mais informações podem ser obtidas no site oficial – www.balanganda.art.br, nas redes sociais Facebook e Instagram (Instituto Balangandã) ou pelo telefone/WhatsApp (19) 9. 8110-8181.