Rodovia SP-352 registrou protestos na quarta-feira (Itapira News)
Publicidade    
Publicidade - Anuncie aqui

A Intervias, concessionária que administra diversas rodovias na região – entre elas a SP-147 (Itapira-Mogi Mirim) e trecho da SP-352 (Itapira-Jacutinga), conseguiu na Justiça uma liminar que proíbe o bloqueio de estradas sob sua concessão.

A medida é uma forma de se precaver com relação aos protestos motivados pela greve dos caminhoneiros, em curso desde o início da semana em todo o país. Em Itapira, na última quarta-feira (23), uma breve manifestação foi registrada na SP-352.

Os caminhoneiros colocaram pneus no meio da pista, mas não chegaram a bloquear a passagem de veículos. Dezenas de caminhões ficaram parados no acostamento, mas o movimento terminou em aproximadamente três horas, sob o receio de aplicação de multas pela Polícia Militar Rodoviária.

Em nota, o Grupo Arteris, do qual a Intervias faz parte, confirmou que obteve na última terça-feira (22) uma “decisão judicial que tramita perante a 1ª Vara Cível de Araras, por meio da qual a Associação Brasileira dos Caminhoneiros está proibida de obstruir ou dificultar o tráfego viário nas rodovias administradas, nem causar qualquer tipo de prejuízo material ou moral contra a concessionária e seus empregados, sob pena de multa diária de R$ 1.500,00”.

Outras decisões liminares também foram emitidas pela Justiça em favor de várias concessionárias de rodovias. Em rodovias da região de Campinas, por exemplo, a concessionaria AB Colinas conseguiu uma liminar que estipula uma multa de R$ 100 mil para cada caminhoneiro que bloquear uma das seguintes estradas: SP-075, SP-127, SP-280, SP-300 e a SP-102/300. 

Em nota, a AB Colinas informa que “em relação às manifestações de movimentos dos caminhoneiros, respeita o direito democrático de manifestação popular ou de classes, mas entende que o direito de ir e vir e a segurança dos usuários de suas rodovias estão em primeiro lugar”.