Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Mais um golpe aplicado por estelionatários ocorreu no município, fazendo vítimas duas irmãs. Elas acabaram entregando R$ 15.550 a um dos golpistas. A ação aconteceu na manhã de quarta-feira, quando uma das vítimas recebeu telefonema de um homem que disse se chamar Carlos e trabalhar na Caixa Econômica Federal.

Ele explicou que as irmãs teriam um valor de R$ 15.550 a ser resgatado, devido à restituição relativa ao Plano Collor. A outra mulher, então, assumiu o aparelho e continuou conversando com o homem, que salientou que ambas precisariam entrar em contato com um suposto advogado, que trabalharia na Associação Comercial do município, fornecendo, inclusive, o número de telefone (19) 3862-1500, para onde uma delas ligou.

A pessoa que atendeu se identificou como Alexandre e disse que era o tal advogado, afirmando que iria protocolar o requerimento e regularizar a documentação. Entretanto, o golpista disse à vítima que ela precisaria sacar o mesmo valor de sua conta, no Banco do Brasil, pois haveria a necessidade de um suposto “procedimento de entrada e saída”, e que somente assim o Governo faria a liberação do dinheiro naquele dia.

A vítima e o suposto advogado combinaram de se encontrar defronte ao banco, às 12h15 do mesmo dia. Antes disso, uma delas sacou a quantia e retornou à sua residência, localizada na região central. Depois, deslocou-se novamente ao banco no horário combinado, onde passou a aguardar pelo suposto advogado. Nesse momento, outro telefonema foi feito à mulher que permaneceu em casa, com o interlocutor perguntando se a quantia havia sido sacada no banco e se o dinheiro estava com elas.

Inocentemente, a mulher informou que o dinheiro havia ficado na casa de sua irmã. Então, o falso advogado disse para que pegasse o dinheiro, colocasse em um envelope e entregasse a um homem de nome Márcio, que passaria na casa. Por volta das 13 horas, quando o homem apareceu, a vítima entregou o envelope, com os R$ 15.550, com o homem desaparecendo. Algum tempo depois, uma das irmãs telefonou à outra, dizendo que o tal advogado estava demorando.

Nisso, foi informada sobre a entrega do envelope, com as duas percebendo que haviam caído em um golpe. O registro foi feito na manhã do dia seguinte, no plantão. Segundo relato feito à Polícia Civil, o homem que retirou o envelope aparentava ter 40 anos de idade e tinha cabelos curtos e castanhos escuros.