Ato bloqueou trecho de via na região central da cidade
Greve geral também motivou protestos em Itapira

A greve geral convocada para esta sexta-feira (28) em todo o país também concentra atos em Itapira. Um grupo de manifestantes se reuniu no cruzamento entre a Avenida Rio Branco e a Rua Rui Barbosa, na região central.

O trecho da Rui Barbosa defronte ao Fórum da Comarca chegou a ficar bloqueado durante o protesto no local, que durou cerca de 40 minutos. Antes disso, um grupo de estudantes saiu da Avenida Paulo Lacerda Quartim Barbosa, no Parque Santa Bárbara, e também rumou para o cruzamento central.

Por volta das 9h00 a concentração ganhou força com a chegada de sindicalistas, professores e mais estudantes. Representantes de outras categorias também engrossaram a manifestação, que ganhou o apoio de vários sindicatos, entre eles os dos Servidores Públicos Municipais, dos Comerciários, dos Metalúrgicos e dos Professores Estaduais de São Paulo.

 

Com faixas, bandeiras e cartazes, os manifestantes exibiram mensagens contra as reformas da Previdência Social e trabalhista propostas pelo governo de Michel Temer (PMDB). Buzinas, apitos, cornetas e carros de som também fizeram parte da ação. O trânsito não foi bloqueado na Avenida Rio Branco, embora a conversão de veículos à esquerda da via, com sentido à antiga Estação da Fepasa, tenha sido prejudicada.

Manifestantes saíram em passeata até a Praça Bernardino de Campos

A PM (Polícia Militar) e a GCM (Guarda Civil Municipal) acompanhou o ato. Por volta das 9h40 os manifestantes saíram em passeata com destino à Praça Bernardino de Campos, passando pelas ruas Orestes Pucci e José Bonifácio. Panfletos foram distribuídos aos comerciantes, motoristas e transeuntes. A reportagem acompanhou a manifestação durante parte da passeada e, até então, tudo ocorrida de forma pacífica. O ato segue agora na Praça Bernardino de Campos.

A greve geral motiva protestos e manifestações em todo o país nesta sexta-feira. O ato foi convocado por centrais sindicais e frentes populares para reforçar o descontentamento contra as reformas previdenciária e trabalhista, além da Lei da Terceirização. Várias categorias profissionais realizaram assembleias e anunciaram adesão ao movimento. 

Em capitais e grandes centros, o transporte público não operou durante as primeiras horas da manhã. Em Mogi Guaçu, o serviço de ônibus coletivo também parou. Bloqueios também foram feitos em rodovias e já há registro de conflitos violentos entre manifestante se policiais. Há também casos de vandalismo, com depredação de ônibus. Em São Paulo, pelo menos 15 categorias informaram que iriam aderir à greve em todo o estado, entre elas os metroviários, ferroviários, professores da rede pública estadual, municipal e particular, bancários, servidores municipais, trabalhadores da Saúde e Previdência estadual e metalúrgicos. Em Itapira, porém, até agora nenhum serviço público ou órgão oficial foi afetado.

 

Publicidade - Anuncie aqui