Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A Secretaria Municipal de Saúde de Itapira confirmou nesta quinta-feira (29) o primeiro caso positivo de sarampo no município.

O paciente é um homem de 33 anos, morador na região rural do Tanquinho e que trabalha no bairro dos Prados.

O caso tinha sido descartado no dia 22 pelo do Laboratório Adolfo Lutz, por meio de resultado da sorologia IgM e IgG. Contudo, agora, o mesmo laboratório liberou o exame PCR (Proteína C Reativa) realizado com material coletado em orofaringe que apresentou resultado detectável para Sarampo.

Como o paciente afirmou não ter viajado recentemente, o caso positivo é considerado autóctone, ou seja, o vírus foi contraído na própria cidade. O caso suspeito desse paciente tinha sido anunciado no final de julho e, na oportunidade, foi tratado como proveniente do bairro dos Prados, uma vez que o homem passa a maior parte de seu dia lá.

Ele havia procurado por atendimento no dia 22 de julho na UBS do Cubatão apresentando os sintomas da doença. O caso foi atendido e solicitado exames (sorologia e swab orofaringe combinado) para Sarampo.  A partir da notificação, o protocolo de caso suspeito foi aplicado, vacinando familiares e pessoas residentes e que trabalham próximo do local do estabelecimento.

A Vigilância Epidemiológica também investiga outros dois casos suspeitos no município. Trata-se de um bebê de 10 meses e uma mulher de 36 anos, ambos moradores dos Prados, mas que não mantiveram contato com o paciente que teve o caso confirmado.

  • Doze Zero e prevenção

O Ministério da Saúde ampliou a faixa etária da vacinação de sarampo para bebês com idade entre 6 e 11 meses. A medida começou a valer a partir do dia 22 de agosto. Anteriormente, o Ministério recomendava a vacinação adicional apenas para os bebês que iriam viajar para municípios com casos confirmados da doença.

A nova vacinação está sendo chamada de Dose Zero e não muda a determinação do bebê tomar a primeira dose contra o sarampo com 12 meses e a segunda aos 15 meses.

Todas as pessoas de 1 a 29 anos 11 meses e 29 dias devem ter pelo menos duas (2) doses da vacina. As pessoas com 30 a 59 anos devem ter pelo menos uma (1) dose. A população deve procurar as Unidades Básicas portando a Carteira de Vacinação para avaliação e aplicação da vacina se necessário.