publicidade

A segunda-feira (26) foi de extrema dificuldade para os profissionais de órgãos de combate a incêndios em Itapira.

Os vários focos de queimada espalhadas por toda a cidade mobilizou agentes da Defesa Civil, membros dos Bombeiros Voluntários, brigadistas da Usina Ester e da Intervias ao longo de várias horas.

Ainda ao anoitecer, equipes atuavam para tentar controlar as chamas agressivas em determinadas regiões. Por volta das 20h00 as labaredas ainda eram bem visíveis na região da Usina Nossa Senhora Aparecida.

As situações mais graves foram registradas nas proximidades do bairro rural das Duas Pontes e na região da Ponte Preta. A extensa nuvem de fumaça foi vista até mesmo de municípios vizinhos e fez a cidade escurecer antes mesmo do entardecer.

Outros focos grandes de incêndio em vegetação foram registrados no bairro rural do Brumado e também em área urbana próximo à Santa Fé. O coordenador da Defesa Civil, Ronaldo Ramos, classificou a situação como “terrível”.

Além da ação humana por descuido e irresponsabilidade, a origem de alguns dos focos também pode ter sido proposital e criminosa.

O fogo destruiu áreas de mata nativa, devastando a fauna e a flora dos locais atingidos. O tempo seco colaborou para que as chamas se alastrassem rapidamente, dificultando ainda mais o trabalho das equipes.

Foto por volta das 20h00 mostra labaredas persistentes na área da Usina (Gabriel Maniezzo/ItapiraNews)

O período de estiagem aliado às queimadas contribuem diretamente para a piora da qualidade do ar, que já vem com índices de umidade bem baixos nos últimos dias, oferecendo ainda mais riscos à saúde dos itapirenses.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui