Vírus Zika é transmitido pelo Aedes aegypti (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Itapira confirmou o quarto caso de chikungunya no município neste ano – o terceiro autóctone, ou seja, contraído na própria cidade. O diagnóstico atingiu uma jovem que reside na região do bairro Flávio Zacchi e que trabalha nos Prados.

Segundo a Vigilância, as ações de busca ativa começaram em novembro, quando a suspeita foi confirmada, e abrangeram ambas as áreas. Ainda de acordo com a pasta, a paciente apresentou os sintomas da doença no mês passado, mas somente na última semana o Instituto Adolfo Lutz encaminhou o laudo com o resultado positivo para a doença. Entre os sintomas, a jovem apresentou dores nas mãos e quadro de febre.

De acordo com a responsável pela Divisão, Josemary Apolinário Cipola, durante as buscas ativas foram encontradas larvas do mosquito Aedes, responsável pela transmissão da doença, na região dos Prados. No Flávio Zacchi não foram localizadas larvas na área abrangida pelo trabalho. Porém, segundo ela, isso não é suficiente para determinar a região do contágio. A paciente não corre risco. Em 2015, Itapira registrou dois casos de chikungunya. No ano passado, não foi confirmado nenhum. O primeiro deste ano foi confirmado em fevereiro.