Caso aconteceu na última segunda-feira em Itapira (Arquivo/Itapira News)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A ação coordenada pela GCM (Guarda Civil Municipal) e pela Patrulha Ambiental contra um homem acusado de envenenar e levar à morte cerca de 10 gatos, na manhã da última segunda-feira (10), culminou na primeira prisão por maus tratos a animais em Itapira desde a instituição de legislação específica local e início das atividades do órgão de combate a esse tipo de crime no município.

Levado à Delegacia de Polícia, o suspeito teve a prisão em flagrante decretada pela delegada Cíntia Palma Rubim. Depois, acabou pagando a fiança arbitrada no valor de R$ 1 mil para responder em liberdade pelas acusações que lhe foram imputadas,

A reportagem do Itapira News acompanhou toda a ocorrência e noticiou com exclusividade o fato que gerou revolta na população. Até a manhã de segunda-feira, ao menos sete gatos haviam sido encontrados mortos, todos por envenenamento com a substância conhecida como chumbinho, cuja venda é proibida no Brasil.

Gatos foram envenenados na região do Braz Cavenaghi (Arquivo/Itapira News)

Depois, outros gatos também apareceram mortos, também apresentando os mesmo sinais característicos provados pela substância tóxica. O homem nega as acusações. Para o chefe da Patrulha Ambiental, Rogério Oliveira, o fato de o suspeito ter sido preso, mesmo tendo pagado fiança posteriormente, representa um marco no trabalho de combate aos maus tratos e abuso animal na cidade.

“Em quatro anos de trabalho, sempre buscamos evitar que estes casos de maus tratos continuassem a ocorrer. De fato, conseguimos diminuir muito estas ocorrências. Os casos de envenenamento são um dos mais difíceis de identificar o autor, ficando quase sempre impune. Desta vez, contudo, conseguimos reunir todos os elementos capazes de colaborar com o desfecho do caso”, avaliou.

De acordo com ele, a participação da vizinhança, que acionou as autoridades e se manteve disposta a ir até a Delegacia de Polícia, bem como o trabalho dos guardas, dos peritos do IC (Instituto de Criminalística) e da própria Polícia Civil foi fundamental. “Conseguimos algo raríssimo, que é uma prisão em flagrante por maus tratos aos animais. Nestes anos todos, autuamos e encaminhamos muitas pessoas para a Delegacia, sempre sem prisão decretada. Apesar da situação triste, este caso se torna histórico para nós, mesmo sabendo que a população talvez não tenha noção da importância desta ocorrência e do seu desfecho”, frisou Oliveira.

Para Oliveira, ocorrência representa marco histórico (Arquivo/Itapira News)
  • MULTAS

Além de agora ter que responder criminalmente pelas acusações, o homem apontado como responsável pelos envenenamentos também terá de arcar com o pagamento de pesadas multas. Somente pela Polícia Militar Ambiental foram lavrados autos de infração que somam R$ 9 mil. Com mais R$ 18 mil em multas aplicadas pela Patrulha Ambiental, o total dos autos somam nada menos que R$ 27 mil.