publicidade - anuncie aqui

Desde que o município foi oficialmente inserido no Programa Vida Longa, em junho do ano passado, a Secretaria Municipal de Promoção Social acompanha semanalmente o trâmite da vasta documentação encaminhada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Estado de São Paulo.

O complexo com 22 moradias e espaço de convivência para pessoas idosas será construído em área localizada à Rua Joaquim Francisco de Lima, no Jardim Levatti, na região próxima ao bairro Morada do Sol. Inicialmente, o programa previa até 28 moradias.

“A última informação que recebi foi de que o processo está na fase de elaboração de projetos. É uma etapa um pouco mais morosa, que deve durar pelos menos três meses, já que envolve equipes distintas para fazer os cálculos orçamentários e outras análises”, explica a secretária municipal de Promoção Social, Regina Ramil Marella.

Ela lembra que tudo corre dentro dos padrões normais para uma iniciativa estadual desse porte. Inclusive reforçou à reportagem do Itapira News que todos documentos solicitados foram juntados e remetidos à pasta estadual. “Agora estamos na expectativa de sair a oficialização da contemplação”, reitera.

A etapa de análise técnica foi vencida sem atropelos e no estágio atual a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Estado se debruça sobre as questões orçamentárias.

A área escolhida para abrigar o complexo atende aos critérios estabelecidos pelo governo estadual quanto à localização e infraestrutura. “Esse tipo de condomínio requer que o local tenha alguns serviços essenciais bem próximos, como UBS (Unidade Básica de Saúde), mercadinho, farmácia e ponto de ônibus, por exemplo”, detalha Regina.

  • DIGNIDADE

A pasta municipal também foi obrigada a elaborar um projeto social a ser desenvolvido com os assistidos, a partir da efetiva instalação do Vida Longa.

A proposta itapirense é denominada ‘Morada da Dignidade’, que comportará 22 moradias habitacionais e capacidade para até 44 usuários.

No local será disponibilizado serviço de acolhimento em república com atendimento focado na construção do fortalecimento de vínculos comunitários, integração, participação e desenvolvimento da autonomia.

“O projeto descreve o que vai ser feito, como será o trabalho, equipe e metas. Foi aprovado com sucesso e agora estamos no aguardo de anunciarem, o mais breve possível, que Itapira vai ser contemplada com uma unidade do Vida Longa”, salienta Regina.

O programa estadual é destinado a idosos que vivem sozinhos ou possuem vínculos familiares fragilizados, em situação de vulnerabilidade social, com renda mensal de até dois salários mínimos e independência para as atividades da vida diária. O valor estimado do convênio é de R$ 7,5 milhões.

Segundo informado pela Prefeitura, no município há uma demanda de aproximadamente 230 pessoas com idade acima de 60 anos e que possuem renda mensal de até dois salários.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui