João Eduardo Torrecillas Sartori é médico, psicanalista e mestrando em Filosofia (Divulgação)
Publicidade    
Publicidade - Anuncie aqui
Por João Eduardo Torrecillas Sartori*

O município de Itapira (SP) é reconhecido, em certos aspectos, por algumas de suas ‘figuras ilustres’ – isto é, por alguns indivíduos que viveram neste município e que são considerados importantes em âmbito histórico. E, neste contexto, no mencionado município, viveu Menotti Del Picchia, considerado como um importante escritor brasileiro. Em sua homenagem, foi fundada, no município, não somente o Parque ‘Juca mulato’, mas a Casa ‘Menotti Del Picchia’ (em 1987), museu em que estão expostos um acervo artístico (sobretudo, mas não somente, literário) e pessoal do escritor.

Menotti Del Picchia integrou a Semana de Arte Moderna (de 1922) – tendo sido um dos mais combativos militantes da estética modernista – e ocupou a cadeira de número 28 da Academia Brasileira de Letras. Ainda, em 1982, foi aclamado ‘Príncipe dos Poetas Brasileiros’ pela Associação dos Escritores Brasileiros, tendo também recebido, em 1960, o ‘Prêmio Jabuti de Poesia’ – sua obra intitulada ‘Juca Mulato’ (1917) tendo sido considerada a melhor poesia do mencionado ano – e, em 1984, o ‘Prêmio Moinho Santista de Poesia’. Entre suas obras mais conhecidas, estão, para além da poesia mencionada, as obras respectivamente intituladas ‘Máscaras’ (1920), ‘A Angústia de D. João’ (1922) e ‘O Amor de Dulcinéia’ (1931) e ‘Laís’ (1921), que é justamente o nome[1] da atual Curadora da Casa ‘Menotti del Picchia’, a qual está, não somente organizando o acervo museológico – e artístico – do autor, mas coordenando as atividades de restauração necessárias para que esta instituição retome – e expanda – suas atividades culturais.

No entanto, Menotti Del Picchia foi também considerado como um importante ensaísta, tendo inclusive sido agraciado com o título de ‘Intelectual do Ano’ pela Associação dos Escritores Brasileiros em 1968. Seus ensaios, assim como suas obras literárias, foram traduzidas para vários idiomas. Entre seus ensaios mais conhecidos, está seu ensaio sociológico intitulado ‘A crise da Democracia’ (1931).

Neste contexto, Menotti Del Picchia tendo sido considerado como importante, não somente em âmbito cultural, mas ainda em âmbito científico, o município de Itapira-SP sediará, na última semana de agosto, a sua “XXXVII Semana ‘Juca Mulato’” (2018), evento organizado por Laís Marin de Campos[2] e pela Secretaria de Cultura e Turismo do município[3]. Nesta edição, o evento, que surgiu de modo a ser uma homenagem ao mencionado escritor, será constituído então em dois eixos: cultural e científico.

Em âmbito cultural, a Curadoria da seção artística do evento[4] coordenará atividades artísticas variadas, que incluem exposições fotográfica e literária (poesia), oficinas artísticas, apresentações de teatro e mesas-redondas (que incluem reconhecidos estudiosos da área) acerca da História de Itapira e de aspectos da obra de Menotti Del Picchia. Em âmbito científico, a Coordenação Científica[5] do evento coordenará o Congresso Científico do evento, que incluirá exposição e avaliação acadêmica de trabalhos científicos nos eixos temáticos de ‘História de Itapira’, de ‘Estudos de Literatura Brasileira’ e de ‘Divulgação Científica e Cultural’.

Desse modo, como um marco de uma recente reavivação da memória de Menotti Del Picchia no município de Itapira-SP, ocorrerão, em 2018, coordenadamente, (1) a restauração da Casa ‘Menotti Del Picchia’ e (2) uma nova edição – aprimorada e complexificada – da Semana ‘Juca Mulato’, evento que, apesar de ter ocorrido anualmente nos últimos 37 anos, não ocorreu do modo – significativo – como foi programado para ocorrer neste ano.

[1] Laís Marin de Campos é Bacharel em Letras (UNESP-FCLAr), 
Licenciada Plena em Letras (UNESP-FCLAr) e 
Curadora da “Casa ‘Menotti del Picchia’” e da “Semana ‘Juca Mulato’”.

[2] Que é Coordenadora Geral do evento e
Curadora da seção artística do evento.

[3] Secretário de Cultura: Tiago Fontolan;
Diretor de Cultura: Ricardo Pecego.

[4] Curadora da seção artística do evento:
Laís Marin de Campos.

[5] Coordenador Científico do evento:
João Eduardo Torrecillas Sartori.

João Eduardo Torrecillas Sartori é médico,
psicanalista e mestrando em Filosofia