Animais foram removidos no início da tarde de hoje (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Os animais que estavam em uma residência na região dos Prados foram resgatados por ordem judicial após pedido formulado pelo MP (Ministério Público) na tarde desta terça-feira (27).

Os cães e gatos ficavam na mesma casa em que uma operação ocorrida no início do mês apurou uma denúncia de suposto caso de zoofilia. 

A decisão de retirar os animais do mesmo espaço em que vive o acusado dos abusos partiu do Poder Judiciário e mobilizou membros do Ministério Público, da Patrulha Ambiental, da Defesa Civil e da Polícia Militar Ambiental, com apoio da Kapa – Associação Protetora dos Animais de Mogi Guaçu.

Defesa Civil e Polícia Ambiental participaram da ação (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Ao todo, segundo apurado pela reportagem, 26 animais entre cães e gatos foram levados. Todos estavam bem cuidados e, segundo apurado, a ação entristeceu bastante a mulher responsável pelos animais e demais familiares.

O Ministério Público informou que os animais foram levados para organizações de proteção de animais na região, onde permanecerão acolhidos. O grupo de cães e gatos que viviam juntos, entretanto, agora acabou sendo separado.

O MP também disse que o processo corre em segredo de justiça. Segundo apurado pela reportagem, o homem acusado dos abusos já está passando por tratamento.

  • POLÊMICA

A operação para apurar a denúncia aconteceu no dia 6 de abril e o caso gerou grande repercussão.

A ação foi reverberada a partir da participação de parlamentares ligados à causa animal, incluindo o delegado Bruno Lima, deputado estadual em São Paulo, e a vereadora itapirense Maísa Fernandes (PSD), além de uma vereadora de Mogi Mirim – Sônia Módena (Cidadania).

Após a divulgação do caso, críticas chegaram a ser feitas à Polícia Civil diante da ausência de prisão do acusado, que é idoso e teria problemas psiquiátricos. A própria família teria solicitado providências às autoridades, mas um boletim de ocorrência por invasão de domicílio foi registrado após a operação.

Em nota divulgada posteriormente, o delegado titular de Itapira, Anderson Cassimiro de Lima, informou que o caso está nas mãos da Justiça após o inquérito policial ter sido aberto antes mesmo da operação que tornou público o caso.

Publicidade - Anuncie aqui