Dinheiro será empregado em ações trabalhistas movida contra companhia sucroalcooleira (Arquivo)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Dinheiro será empregado em ações trabalhistas movida contra companhia sucroalcooleira (Arquivo)
Dinheiro será empregado em ações trabalhistas movida contra companhia sucroalcooleira (Arquivo)
Publicidade - Anuncie aqui

Uma parte da Fazenda São José das Borboletas, situada em Catanduva-SP e pertencente ao GVO (Grupo Virgolino de Oliveira), foi arrematada por R$ 27 milhões em leilão judicial ocorrido na tarde de quinta-feira (23).

A área conta com 373 alqueires de extensão e integra a propriedade penhorada em janeiro deste ano pela Justiça do Trabalho – medida motivada por uma ação trabalhista coletiva movida por diversos sindicatos – entre eles o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Itapira.

O processo cobra direitos trabalhistas de ex-funcionários das unidades do GVO em Itapira, Ariranha (SP), Monções (SP) e José Bonifácio (SP). Em maio, a propriedade separada por duas matrículas já havia ido a leilão, mas nenhum lance foi ofertado, gerando um sentimento de frustração nos trabalhadores que esperam receber seus direitos.

Desta vez, o resultado foi diferente e renovou as esperanças dos credores em receber suas indenizações. A área tinha lance mínimo de R$ 23 milhões. O nome do comprador não foi divulgado, mas a informação é de que o lance teria partido de um usineiro da região de Catanduva.

Outra parte da fazenda situada às margens da Rodovia Washington Luís ainda não foi arrematada. O dinheiro deverá ser distribuído entre os processos, mas ainda não há previsão de quando a verba será liberada aos autores das ações.

Também não se sabe se o montante será suficiente para quitar todas as indenizações e direitos cobrados pelos trabalhadores. “Agora, dependemos da Justiça. A esperança é que resolva pelo menos parte das pendências. Se o dinheiro fosse somente para as ações do pessoal de Itapira, dava pra pagar tudo. Mas, como tem o rateio, temos que aguardar pra ver o que a Justiça vai fazer”, comentou o presidente da entidade sindical itapirense, José Emílio Contessoto.

De acordo com ele, nos próximos dias os representantes jurídicos dos sindicatos que assinam a ação deverão ser convocados para prestarem informações sobre os valores de suas ações. O leilão aconteceu em São José do Rio Preto (SP). Seguindo as regras do certame, o comprador pagou, no ato do arremate, 20% do valor do lance vencedor. O restante foi depositado, em juízo, no dia seguinte.