Loja na Nova Itapira sofre segundo furto em 40 dias; vídeo registra ação

Loja novamente foi alvo de ação de ladrões em Itapira (Reprodução)

Dois furtos e duas tentativas de furto em um espaço de tempo de apenas 40 dias. Essa é a realidade enfrentada por uma loja de roupas situada na esquina da Avenida Paoletti com a Rua Gonçalves Dias, na região da Nova Itapira.

O estabelecimento que já havia sido furtado na madrugada do dia 27 de janeiro passado voltou a ser alvo de ladrões na madrugada deste domingo, dia 7 de março.

No período de 40 dias entre essas duas invasões, outras duas tentativas de furto ocorreram sem que os bandidos conseguissem entrar no interior do comércio. “É um sentimento de revolta e de desânimo”, desabafa uma das responsáveis pelo estabelecimento. “Assumimos a loja em junho do ano passado e em oito meses acontece tudo isso”, completa.

No furto ocorrido na última madrugadas, as imagens registradas pelo sistema de videomonitoramento mostram quando um homem utilizando um capacete invade a loja depois de quebrar a vitrine. Ele vai direto para o caixa, pega o dinheiro e diversas peças de roupas e foge.

Um alicate de pressão que foi arremessado no vidro ficou no chão da loja. Por volta das três horas da manhã, os donos da loja acordaram com o alerta disparado pelo sistema de alarme. O pesadelo de mais um furto se concretizou, com prejuízo estimado em R$ 7 mil.

Na primeira invasão, no fim de janeiro, a loja não tinha câmeras. Os ladrões levaram roupas, sapatos, bolsas, carteiras, perfumes e até uma cafeteira, além de dinheiro. Somando os dois furtos, os proprietários estimam um prejuízo na ordem de R$ 35 mil.

Ao longo do mês de fevereiro foram mais duas tentativas de invasão ao local. Na primeira, um reforço colocado na porta impediu a entrada dos ladrões. Na segunda vez, o sistema de alarme instalado na porta foi ‘inaugurado’ e afugentou os criminosos. Desta vez, eles preferiram correr o risco e consumaram mais um furto.

A cobrança por mais segurança na região não é só das vítimas desse caso. Muitos comerciantes da Nova Itapira e da Santa Cruz, a exemplo de outros bairros da cidade e da região central, demonstram revolta e cobram ações contra a crescente onda de furtos e roubos.

O desânimo da empresária, entretanto, é acompanhado de certo descrédito. “Espero que essas pessoas sejam presas, pois assim fica difícil trabalhar. Ultimamente muitos comércios e residências estão sendo roubados. Agora tem o toque de recolher, nós ficamos em casa, mas os bandidos estão soltos pelas ruas”, lamenta.

Publicidade - Anuncie aqui