Mulher chora pela filha que escorregou de seus braços (Abbie Trayler-Department for International Development)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Mulher chora pela filha que escorregou de seus braços (Abbie Trayler-Department for International Development)
Mulher chora pela filha que escorregou de seus braços (Abbie Trayler/Department for International Development)
Publicidade - Anuncie aqui

O tsunami que varreu a costa de uma dezena de países banhados pelo Oceano Índico e fez mais de 226 mil vítimas completa dez anos nesta sexta-feira (26).

O maremoto ocorrido em 2004 é considerado o maior desastre natural dos últimos 100 anos. As consequências foram muitas e são sentidas até hoje pela população das localidades atingidas. A data, no entanto, também marca a união de várias nações para oferecer ajuda aos países afetados.

Depois da passagem do tsunami, um grande programa de assistência internacional foi implementado. Aproximadamente US$ 7 bilhões de ajuda internacional foram alocados nos anos que se seguiram.

Na província indonésia de Aceh, a mais afetada, cerca de 140 mil casas, estradas, escolas e centros de saúde foram reconstruídos. Na província, foram contabilizados mais de 127 mil mortos, 93 mil desaparecidos, 635 mil desalojados e uma área de destruição equivalente a 45 campos de futebol.

Para a ministra do Turismo e das Indústrias Criativas da Indonésia, Mari Elka Pangestu, a destruição causada pelo tsunami na Banda Aceh, na ilha de Sumatra, foi “enorme”, mas permitiu duas grandes conquistas no processo de reconstrução: a paz na região e a aposta no turismo. Segundo ela, as autoridades indonésias procuraram não só avançar com o processo de reconstrução física, mas também identificar novas formas de desenvolvimento econômico.

O renascimento da Província de Aceh foi beneficiado pela ajuda internacional e pelo fim de um conflito armado de quase três décadas entre separatistas e forças governamentais. Um acordo de paz foi concluído menos de um ano após o desastre natural.

Maremoto deixou devastação e emocionou todo o mundo (Abbie Trayler/Department for International Development)
Maremoto deixou devastação e emocionou todo o mundo (Abbie Trayler/Department for International Development)

Na Tailândia, o turismo também foi incentivado. De acordo com a ministra do Turismo e Desporto da Tailândia, Kobkarn Wattanavrangkul, um ano após o tsunami residentes e turistas recuperaram a confiança no destino, especialmente em Phuket. O maremoto atingiu a costa das províncias de Krabi, Phang-nga, Phuket, Ranong, Satun e Trang, no sul da Tailândia, causando a morte de mais de 5 mil pessoas naquele país.

A reconstrução também trouxe problemas, particularmente em Aceh. Na localidade, o processo motivou a extração ilegal de madeira na floresta tropical da Samatra, que corre o risco de perder o estatuto de patrimônio mundial.

A floresta tropical da Samatra, composta por três parques nacionais, classificada como patrimônio mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em 2004, está em risco. A reserva florestal da Indonésia é a terceira maior do mundo, depois da Amazônia e da Bacia do Congo, mas cerca de 40% foram destruídos por madeireiros ilegais nos últimos 50 anos.

Agência Brasil, com informações da Agência Lusa
Publicidade - Anuncie aqui