Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Grande parte das mortes ocorridas no trânsito em São Paulo poderia ser evitada. Essa é a conclusão que se chega ao analisar os dados do Infosiga SP (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo). Segundo o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, iniciativa lançada em 2016 pelo governo estadual para analisar os óbitos em acidentes de trânsito nos 645 municípios paulistas, 94% das mortes são ocasionadas por falha humana.

Um dos principais meios para reduzir essas ocorrências é a educação dos condutores. Por isso, o Detran.SP elencou uma série de infrações previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que muitos motoristas não conhecem e não sabem que geram penalidades. Entre as atitudes que podem punir o condutor com multa e pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), estão maquiar-se ao volante (hábito comum entre as mulheres), afastar o olhar da via e virar-se para trás, fumar ou namorar enquanto dirige, pilotar motocicleta com a viseira levantada, dirigir em ziguezague ou tentar alcançar algum objeto no assoalho do veículo.

Outros comportamentos de risco incluem excesso de velocidade, falta de uso do cinto de segurança, ler, comer e beber ao volante (pior ainda se for bebida alcoólica) e travessia em locais proibidos. Tudo isso faz com que o trânsito mate mais do que homicídios em São Paulo. Em 2016, segundo a Secretaria de Segurança Pública, o Estado de São Paulo registrou taxa de 8,1 homicídios a cada 100 mil habitantes. Já os acidentes de trânsito correspondem a 13,2 óbitos por 100 mil habitantes. Quando analisada a estatística nacional, chega-se a 21 mortes a cada 100 mil, segundo o DATASUS.

Ainda de acordo com o Infosiga SP, colisões são o principal tipo de acidente fatal, responsável por 37,8% das mortes, seguido de atropelamentos (29,5%). Em relação aos tipos de veículo envolvidos nas ocorrências com morte, as motocicletas representam 34% do total, contra 21,3% dos automóveis. Cometer as infrações citadas acima ao volante, além de arriscar a própria vida e a de terceiros, pode custar caro ao condutor do veículo. Elas estão enquadradas no artigo 169 do CTB e são mais comuns do que se imagina.

Confira algumas infrações, o valor da multa e as penalidades previstas:

– Arremessar água ou detritos sobre pedestres: infração média, 4 pontos na CNH e multa de R$ 130,16.

– Dirigir com apenas um mão, exceto quando for mudar a marcha do veículo, acionar equipamentos e acessórios do veículo ou sinalizar manobra com o braço (fumar pode ser enquadrado nessa infração): infração média, 4 pontos na CNH e multa de R$ 130,16.

– Não acionar o limpador de para-brisa durante a chuva ou conduzir com o para-brisa em más condições (ressecado, por exemplo). Ou seja, com o equipamento obrigatório ineficiente ou inoperante: infração grave, 5 pontos na CNH e multa de R$ 195,23.

– Conduzir o veículo com calçados que não se firmem nos pés (como chinelos e sandálias soltas, sem presilhas) ou que comprometam a utilização dos pedais (sapatos com saltos altos e tamancos): infração média, 4 pontos na CNH e multa de R$ 130,16.

– Transportar animais à esquerda do motorista ou acomodados entre os seus braços ou pernas: infração média, 4 pontos na CNH e multa de R$ 130,16.

– Dirigir utilizando o celular, antes considerada infração média, passou a ser gravíssima, com multa de R$ 293,47 e 7 pontos na CNH.