Rostirolla, Mino e Beth mantiveram votos favoráveis pelo reajuste dos subsídios (Paulo Bellini/ItapiraNews)
publicidade - anuncie aqui

Uma surpreendente mudança de posição de última hora dos vereadores Maísa Fernandes (PSD) e Fábio Galvão dos Santos (PSD), o Faustinho, fez com que o veto do prefeito Toninho Bellini (PSD) ao reajuste do salário dos vereadores fosse mantido.

A votação do veto aconteceu na sessão desta quinta-feira (16). Diferentemente do voto favorável ao aumento de quase 88% que elevaria de de R$ 5.264,05 para R$ 9.890,00 o valor pago mensalmente aos parlamentares, os dois governistas recuaram e, desta vez, decidiram ir contra ao reajuste.

O placar foi de cinco votos favoráveis ao veto e quatro contrários, para derrubar o veto. O presidente da Câmara Municipal, Mino Nicolai (MDB), e os vereadores André Siqueira (MDB), Beth Manoel (MDB) e Luan Rostirolla (PSD) votaram para que o reajuste prosperasse.

Já Carlos Briza (PP), Carlinhos Sartori (PSDB) e Leandro Sartori (Psol) também votaram pela manutenção do veto, somando então os cinco votos junto aos de Faustinho e Maísa. César da Farmácia (PSD) não compareceu à sessão.

Para que o veto fosse derrubado era necessário maioria absoluta dos votos, ou seja, seis votos contrários ao veto entre os 10 vereadores da Casa. O veto do chefe do Executivo deu entrada na pauta do Legislativo na sessão de quinta-feira passada (9) e enviado às Comissões Permanentes.

Antes da votação, o presidente da Câmara suspendeu a sessão e se reuniu com todos os parlamentares em sua sala, em uma última tentativa de conseguir apoio para derrubar o veto.

  • HISTÓRICO

O projeto que reajusta o subsídio dos vereadores é de autoria da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, que tem como presidente Fábio Galvão dos Santos e como membros André Siqueira e Beth Manoel.

A iniciativa gerou grande polêmica desde que começou a tramitar e motivou protestos na Câmara.

O reajuste em torno de 88% começaria a vigorar a partir de janeiro de 2025 e iria favorecer a próxima legislatura do município que também terá aumento no número de vereadores, de 10 para 13, conforme definido ainda em 2023.

O último reajuste do subsídio dos vereadores ocorreu em novembro de 2014, retroativo a maio do mesmo ano, com acréscimo de 6,28% ao então salário de R$ 4.953,00, chegando então ao patamar atual de 5.264,05.

Antes disso, em 2012, a pressão gerada por movimentos populares frustrou os planos de um reajuste para R$ 6.430,00, que valeria a partir de janeiro de 2013.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui