Silvia Helena não aguenta mais o mau cheiro que vem do córrego (Paulo Bellini/ItapiraNews)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O mau cheiro constante que exala de um córrego que corta a região do Jardim Magali motivou a moradora Silvia Helena da Penha Vieira Ribeiro, 53, a acionar a reportagem do Itapira News para cobrar maior atenção ao problema por parte das autoridades municipais.

De acordo com a dona-de-casa, a população residente na Rua Piauí, onde fica sua casa, e adjacências convive há muitos anos com um odor bastante desagradável vindo do curso d´água.

“É um cheiro podre, muito ruim. Parece esgoto mesmo, às vezes lembra o cheiro de chiqueiro. Em dias se sol forte, piora muito, mas todo dia dá para sentir. É muito desagradável”, lamentou.

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

De acordo com ela, muitos moradores já registraram a insatisfação perante as autoridades políticas do município, mas até hoje nenhuma solução foi apresentada. “Quando teve a inauguração de uma pracinha aqui no bairro eu comentei com um vereador que me disse que iria ver o que poderia ser feito. Nunca tive resposta”, frisou.

A moradora afirma que o mau cheiro se concentra principalmente na saída das tubulações, por onde a água corre e deságua no córrego que segue para o Ribeirão da Penha, cortando o Centro de Lazer. “Tem muita sujeira e uma espécie de gosma que dá para ver todo dia”, finalizou.

  • OUTRO LADO

Consultada a respeito das manifestações da moradora, a Prefeitura informou que o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) foi cientificado das queixas e garantiu que fará uma vistoria no local.

A Secretaria Municipal de Serviços Públicos também foi consultada e afirmou que mantém um cronograma de limpeza no local. A reportagem seguirá acompanhando o caso.