Publicidade - Anuncie aqui também!
Alessandra Diehl atua no Bairral e representará Brasil, ao lado de outra profissional do país, em curso na Suíça (Divulgação)
Alessandra Diehl atua no Bairral e representará Brasil, ao lado de outra profissional do país, em curso na Suíça (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui

A médica psiquiatra Alessandra Diehl, que atua no Setor de Dependência Química do Instituto Américo Bairral, em Itapira, foi selecionada para participar de um workshop intensivo na OMS (Organização Mundial da Saúde), em Genebra, na Suíça.

Alessandra faz parte de um seleto grupo de 15 profissionais escolhidos para participar do evento que abordará Sexualidade e Saúde Sexual nas dependências instituição. O curso acontecerá durante uma semana neste mês de setembro.

O workshop é promovido pela Geneve Foundation for Medical Education and Research e faz parte de uma espécie de premiação aos melhores alunos do curso on line intitulado ‘Training Course in Sexual and Reproductive Health Research’, realizado em 2014.

Com sete meses de duração, o curso teve a participação de mais de 500 inscritos de vários lugares do mundo, principalmente da África e Índia, com módulos semanais sobre HIV e AIDS, planejamento familiar, direitos sexuais, saúde sexual e reprodutiva do adolescente e saúde materna e perinatal, entre outros temas. Também incluiu atividades semanais como provas, testes e entrega de trabalhos versando sobretudo sobre aspectos atuais da saúde sexual no Brasil e o panorama do nosso país com relação a temas e condições sexuais correlatas.

Além da médica do Bairral, outra pesquisadora brasileira, a psicóloga, Denise Leite Vieira, do Grupo de Estudos em Sexualidade (Gesex) da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), também foi selecionada. “Este workshop é uma grande oportunidade para ampliação de rede com vários outros profissionais do mundo, principalmente daqueles de países em desenvolvimento, que em geral estão na chamada linha de frente de seus serviços, a fim de trazer novas experiências e boas práticas clínicas que podem ser incorporadas em nosso país”, comentou Alessandra.

Publicidade - Anuncie aqui