Maurício Lima falou sobre ações contra o coronavírus na cidade (Reprodução/Câmara Municipal)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

As medidas de prevenção e combate à pandemia do coronavírus seguem em andamento em Itapira.

Além das operações de pulverização que começam na noite desta quarta-feira (25), as preparações para uma possível superlotação do Hospital Municipal também continuam.

O vereador Maurício Lima, coordenador do Comitê de Gestão de Crise do Coronavírus em Itapira, disse que o assunto não se trata de “especulação”.

“Estamos nos preparando e entendemos que essa situação infelizmente é muito séria. Existem posicionamentos políticos que destoam do que vem se observando no mundo todo, mas nós vamos nos preparar cada vez mais”, disse

As declarações foram feitas na tarde desta quarta-feira durante boletim ao vivo da Câmara Municipal. Ele ainda fez um apelo para que a população continue a manter suas medidas de prevenção, inclusive praticando o isolamento social.

“A população precisa entender e continuar fazendo sua parte, essa é a única maneira de evitarmos um colapso. Todas as pessoas envolvidas nas ações em nossa cidade estão trabalhando com muita seriedade e com muita preocupação. Não vamos deixar para lamentar depois, vamos tomar todas as medidas para minimizar os efeitos da pandemia na cidade”.

Maurício Lima também fez um pedido aos governantes para que olhem não só para a economia, mas também para a vida dos cidadãos. “Não é brincadeira, não é uma simples gripinha”, frisou, em clara alusão às recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que não concorda com as medidas de contingenciamento e isolamento social adotadas nos estados e municípios.

“Entendemos que existem os problemas econômicos, mas acima da economia estão as pessoas. Nós respeitamos muito as pessoas com mais idade. As preparações do nosso hospital de campanha também continuam em andamento, para caso precisemos de mais leitos”, finalizou.

Também presente na transmissão do boletim, o prefeito José Natalino Paganini (PSDB) concordou com Lima e disse que suas palavras são “fortes, mas essenciais”.