Homem foi socorrido pelo Samu, mas morreu no Hospital Municipal
Publicidade - Anuncie aqui também!
Homem foi socorrido pelo Samu, mas morreu no Hospital Municipal
Homem foi socorrido pelo Samu, mas morreu no Hospital Municipal
Publicidade - Anuncie aqui

O que parecia ter sido uma queda acidental ou atropelamento ocorrido na tarde desta sexta-feira pode ter sido, na verdade, um homicídio.

Um mistério cerca a morte de Carlos Roberto Ferreira de Godoy, 42 anos. Por volta das 11h00, a Polícia Militar foi acionada para atender, a princípio, uma ocorrência de atropelamento na estrada que liga a rodovia SP-352 (Itapira-Jacutinga) ao bairro rural do Machadinho.

No local, os policiais encontraram Godoy caído, ao lado de sua bicicleta. O Samu foi acionado e socorreu o homem, que foi conduzido ao Pronto Socorro (PS) do Hospital Municipal (HM), com diversos ferimentos, mas aparentemente consciente.

Segundo testemunhas, o homem transitava com a bicicleta quando cruzou com uma caminhonete. Em seguida, caiu. Por isso, a primeira informação passada à Polícia era de que havia sido um atropelamento. Contudo, ainda no local, outra hipótese passou a ser aventada: de que ele teria sofrido queda acidental.

Entretanto, horas depois de dar entrada no HM, Godoy entrou em óbito. Durante os cuidados com o corpo, enfermeiros notaram que havia um ferimento na região do pescoço, próximo ao ouvido, que se assemelhava a ferimentos causados por disparo de arma de fogo ou perfuração de algum objeto.

Com isso, o corpo de Godoy foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Mogi Guaçu, onde passa por exames necroscópicos para tentar descobrir as causas da morte. A Polícia Civil investiga o caso.