Monstro e Cia tem sessões no fim de semana em Itapira (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A Cia Talagadá – Teatro de Formas Animadas agendou cinco apresentações em Itapira do seu mais novo espetáculo teatral, ‘Monstro e Cia’.

As sessões acontecem neste fim de semana, entre sexta-feira (26) e domingo (28) no Espaço Garagem, na Praça Riachuelo, região central da cidade.

A apresentação traz um debate sobre o bullying, assunto de suma importância para conscientização das crianças. Na sexta (26) a apresentação acontece às 20h00. No sábado (27) e domingo (28) o espetáculo será realizado em dois horários diferentes, o primeiro às 17h00 e o segundo às 20h00.

A classificação é livre e a entrada para o espetáculo é gratuita, mas é preciso chegar cedo para garantir o lugar. “O espaço comporta poucas pessoas por sessão, são 35 lugares. Por isso a distribuição de ingressos será feita com uma hora de antecedência de cada apresentação”, explica o arte-educador Danilo Lopes.

A produção teatral está em turnê desde 12 de junho. A primeira apresentação ocorreu em Pirassununga (SP). Depois, dia 14 do mesmo mês, a montagem passou por Cosmópolis (SP). Depois das apresentações em Itapira, a peça ainda passará por Limeira (2 de agosto) e São Paulo (3 e 4). A última parada será dia 10 de agosto Araras. A direção é de Valner Cintra.

  • ROTEIRO

‘Monstros e Cia’ conta a vida de um garoto hostilizado pelos demais por sua aparência física e que um dia decide fugir e acaba encontrando uma velha casa distante, excêntrica e assombrada. Nessa aventura ele conhece os moradores do local, com quem se identifica e com isso redescobre sua autoconfiança.

O espetáculo é um marco na história da companhia por ser a primeira peça com temática infantil. O grupo pesquisou a melhor forma de associar o engajamento político, característico das peças, em uma produção voltada ao novo público. O resultado foi a abordagem de temas problemáticos da sociedade contemporânea como preconceito, discriminação e bullying, de um modo poético e atingindo o público de todas as idades.

O teatro é feito com a manipulação de bonecos e fica a cargo de Danilo Lopes, João Bozzi, Luan Freitas e Valner Cintra. O músico Luis Giovelli é responsável pela trilha sonora. O projeto foi contemplado pelo ProAc (Programa de Ação Cultural).