Benedito e Ângela em meio ao que sobrou da casa, apoio é fundamental (Leo Santos/Tribuna de Itapira)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Benedito e Ângela em meio ao que sobrou da casa, apoio é fundamental (Leo Santos/Tribuna de Itapira)
Benedito e Ângela em meio ao que sobrou da casa, apoio é fundamental (Leo Santos/Tribuna de Itapira)
Publicidade - Anuncie aqui

Após ter a casa e seus pertences totalmente destruídos por um incêndio, uma família residente no Conjunto Habitacional Braz Cavenaghi, em Itapira, tenta recolocar a vida em ordem.

Para isso, contam com ajuda e doações que partem de vizinhos, amigos, familiares e até mesmo pessoas desconhecidas. Todos os cômodos foram danificados e, agora, o motorista Benedito Oswaldo Iamarini, 52, e sua esposa, a auxiliar de produção Ângela Aparecida Marques, 35, moram na garagem que virou sala, quarto e cozinha ao mesmo tempo.

Um banheiro construído fora da casa passou a ser utilizado pelo casal. A residência fica na Rua Henrique Tofanello e foi tomada pelo fogo no final da tarde do dia 19 de julho, um domingo. Os moradores não estavam no local no momento do sinistro.

A suspeita é que o fogo tenha começado após um curto-circuito em uma tomada na sala. De lá, as chamas se alastraram por todos os cômodos, atingindo também a cozinha, um quarto e o banheiro.

Nenhum móvel ou eletrodoméstico escapou do incêndio. O casal também perdeu roupas, utensílios domésticos, mantimentos, produtos de higiene pessoal e de limpeza, objetos pessoais e praticamente tudo mais o que estava armazenado no imóvel.

“Achamos que o fogo começou mesmo em uma tomada atrás do rack da televisão. Depois se alastrou completamente. Um vizinho foi quem sentiu o cheiro da fumaça e percebeu que a casa estava pegando fogo, e chamou os bombeiros”, contou o motorista.

A Defesa Civil controlou o incêndio, mas quase nada foi salvo das chamas. Até o reboco das paredes cedeu. As portas e janelas também terão que ser trocadas. “Ainda bem que a casa passou na vistoria. Não comprometeu a estrutura toda, então ainda podemos morar aqui”, ponderou Iamarini. Apesar da difícil situação, o casal que dorme em um colchão, já que também perderam a cama, se mostra agradecido pelo apoio recebido. “Já ganhamos muita coisa. Roupas, por exemplo, não precisamos mais, já temos o suficiente. Um amigo emprestou uma geladeira e fogão usados. Ganhamos um sofá e conseguimos comprar uma estante e uma televisão”, comentou o motorista.

Todo o restante que forma uma casa, porém, ainda é necessário ao casal. Possíveis doações financeiras também são bem vindas, tendo em vista que a residência precisa ser reconstruída. “Ainda estou esperando a resposta da Caixa Econômica Federal pra ver como vou fazer, se vou ter que financiar”, revelou o morador. Utilidades e aparelhos domésticos também podem ser doados. “O que vier, é bem vindo e ajudará bastante. Agradecemos a todos que já estão nos ajudando. Temos muita fé que vamos conseguir normalizar nossa vida de novo”, finalizou Iamarini. Os contatos com o casal podem ser feitos pelos telefones (19) 9.9766-8481 e 9.9883-5890.