Moradores questionam obra e dizem não ter sido comunicados (Paulo Bellini/ItapiraNews)
publicidade

Uma obra de cobertura asfáltica sobre o calçamento da Rua Presidente Kennedy, na Vila Kennedy, despertou protestos de moradores na manhã deste sábado (23).

A mobilização popular acabou paralisando a obra logo após o maquinário e operários chegarem e iniciarem a obra, já com aplicação de uma camada de piche em parte da via.

Os moradores acionaram a reportagem do Itapira News para contar que não foram consultados a respeito da obra e lembram ainda que há questões ambientais que devem ser levadas em consideração.

“Um ou dois vizinhos disseram ter recebido ligação, mas a maioria não estava sabendo de nada. E quase todo mundo é contrário a esse asfaltamento”, disse Silvia Tofanello Venturini, que há 20 anos reside na via junto ao esposo Sebastião Venturini.

Maquinário chegou pela manhã e surpreendeu moradores (Paulo Bellini/ItapiraNews)

De acordo com ela, há ainda outras questões envolvidas, como o fato da região ser uma baixada e haver acúmulo de água quando chove. “O calçamento é mais permeável e aqui já temos problemas quando chove muito, é uma baixada e a água entra nas casas. Com asfalto isso vai piorar ainda mais”, completou a moradora.

Outro ponto levantado por moradores é que o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) já teria programado uma obra de melhorias na via, e se o asfaltamento for feito agora, terá de ser danificado em breve. A reportagem ainda não conseguiu confirmar esta informação.

O advogado Daniel Ranzatto chegou a estacionar seu carro atravessado na rua, na frente das máquinas, para impedir o andamento da obra. “Sou morador dessa rua desde que nasci e nenhum de nós foi consultado. Disseram que teve uma enquete, mas os vizinhos negam ter recebido qualquer contato”, disse.

Ele lembrou ainda que a região é conhecida por abrigar mananciais – são diversas minas d’água que poderão ser prejudicadas caso o trecho de fato seja asfaltado. “E o próprio calçamento aqui com bloquetes é uma tradição do bairro. Se essa obra andar será um caos aqui”, desabafou.

Morador no local há 41 anos, Marilton Brandão também confirmou que a maior parte da vizinhança é contrária à obra. “As pedras absorvem melhor a água e resfriam mais rápido, não queremos asfalto aqui. Mas, do nada, fecharam a rua cedo e começaram as obras. Felizmente conseguimos parar por enquanto”, disse.

Para Luan de Oliveira, cuja família também reside há décadas na Rua Presidente Kennedy, o asfaltamento certamente resultaria em “grandes problemas aos moradores”. “Esse trecho é uma espécie de bacia e quando chove toda a água escorre aqui. A falta de planejamento e escoamento da água somente não é ais grave por conta do calçamento que ajuda na drenagem”, disse.

Oliveira também é contrário à pavimentação (Paulo Bellini/ItapiraNews)
  • PAROU

A obra somente foi interrompida após a chegada de representantes da Prefeitura depois que um dos moradores teria conseguido contato direto com o prefeito Toninho Bellini (PSD).

A reportagem fez questionamentos à Prefeitura sobre os critérios para a escolha das vias que estão recebendo cobertura com asfalto – a exemplo do que ocorreu com um trecho da Rua João de Moraes na última sexta-feira (22).

Até a publicação desta matéria, a assessoria de comunicação não havia retornado com as respostas – o espaço segue aberto para manifestação.

A reportagem apurou que o caso ainda seguia em andamento por volta do meio-dia, com as máquinas paradas.

Vereadores e pessoal da administração também conversaram com moradores. A GCM (Guarda Civil Municipal) foi acionada para acompanhar a situação no local.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui