Ônibus pararam por duas horas em Itapira
Publicidade - Anuncie aqui também!
Ônibus pararam por duas horas em Itapira
Ônibus pararam por duas horas em Itapira
Publicidade - Anuncie aqui

A paralisação dos motoristas da Viação Itajaí, ocorrida na tarde desta terça-feira (16), mobilizou parcialmente a categoria. O ato coordenado pelo Sindicato dos Condutores de Mogi Guaçu e Região foi realizado entre 13h00 e 15h00, na Estação Rodoviária.

Inicialmente, oito ônibus que fazem as linhas urbanas e rurais do município permaneceram estacionados no local. Pouco tempo depois alguns motoristas acabaram retornando ao trabalho.

Às 14h00, a paralisação englobava 50% da frota que atua diariamente no transporte coletivo, o que fragilizou o movimento sindical. O motivo do ato, segundo o Sindicato, é que a função de cobrador das catracas foi definitivamente extinta dos circulares, mas os motoristas não estariam recebendo a gratificação obrigatória por, além de conduzirem os veículos, também cobrarem as tarifas.

O presidente da entidade, Gessy Alves de Oliveira, criticou a Viação Itajaí e disse que a empresa se nega a negociar com a categoria. Ele afirmou ainda que a categoria poderá entrar em greve até o fim da semana. “A empresa não quer negociar, está sendo intransigente. Não queremos prejudicar a população, mas não tem outro jeito”, declarou.

Durante a paralisação, motoristas que não aderiram ao movimento foram ironizados por sindicalistas. A GCM (Guarda Civil Municipal) e a PM (Polícia Militar) permaneceram na Rodoviária, mas nenhum tumulto foi registrado. O comandante da GCM, César Martucci, disse que o objetivo das corporações era garantir a ordem no local. Um advogado da Itajaí também esteve presente. A Viação Itajaí foi procurada pela reportagem, mas ainda não se manifestou. Com a paralisação parcial, muitos usuários precisaram esperar mais tempo que o normal pelo transporte. A maioria, contudo, criticou a qualidade do serviço prestado pela Itajaí e aprovou a mobilização dos funcionários. Contudo, houve também quem reclamasse dos prejuízos da paralisação.

Um protesto semelhante já ocorreu em 2014, quando motoristas pararam por duas horas e se concentraram na Estação Rodoviária. No ano passado, a categoria chegou a deflagrar uma greve para cobrar reajuste salarial da empresa. O Sindicato também cobra da empresa um local adequado para que os funcionários façam a conferência do caixa. De acordo com a entidade, atualmente esse trabalho é realizado no guichê da empresa na Rodoviária, mas o local não teria condições de segurança. Procurada, a Viação Itajaí não se manifestou.

Publicidade - Anuncie aqui