Se o empreendedorismo já não é tarefa fácil para pessoas jovens e mais dispostas ao enfrentamento dos desafios do dia-a-dia, imagina para quem já tem mais idade e e é mulher.

As dificuldades, porém, são tiradas de letra por muitas mulheres que produzem e vendem para obter renda, seja como complemento ou mesmo como principal fonte de recursos da família.

Em Itapira, dois bons exemplos da condução de negócios familiares e caseiros pela força feminina são Ofélia Benedita Lemes e Rosana Aparecida de Campos Rossi.

Ambas atuam no setor alimentício, sendo que Dona Ofélia produz e vende doces e, Rosana, comercializa verduras e legumes direto da horta da família.

Veja a série especial do Itapira News com matérias sobre o Dia da Mulher
  • CONTINUIDADE

Aos 74 anos de idade, Dona Ofélia dá continuidade à tradição que ficou conhecida pela presença de seu companheiro, o simpático Wilson Caporalli – ou Wilson Doceiro – falecido em julho do ano passado.

A viúva optou por manter o nome do negócio – ‘Doces do seu Wilson’ – como uma homenagem ao marido que, por quase 20 anos, circulou pelas ruas da cidade vendendo seus deliciosos docinhos e conquistando a simpatia de muitos fregueses.

Dona Ofélia se mantém ativa com produção de docinhos (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Dona Ofélia, que sempre foi responsável pela produção dos doces, agora conta com a ajuda da família para gerenciar as redes sociais e fazer as entregas das encomendas. “Eu me sinto muito bem, me sinto viva trabalhando com os doces, não pretendo parar”, diz.

Os interessados em comprar os tradicionais doces caseiros, como brigadeiros, beijinhos, entre outros, devem entrar em contato pelo WhatsApp (19) 9.9133-5377.

  • DIRETO DA HORTA

Já Dona Rosana, de 57 anos, é bem conhecida pela feira que leva seu nome e que acontece sempre às terças e sábados no Braz Cavenaghi.

A ‘Feira da Rô’ vende verduras, frutas e legumes diretamente da horta da família ou de produtores locais e da região. Há, ainda, espaço para outros produtos – entre eles alguns deliciosos quitutes também feitos à mão por Rosana.

“Eu sempre plantei verduras e desde 1986 fazia feira em Itapira e também vendia no rancho em que eu morava no bairro dos Pires. Foi há uns quatro anos que começamos a vender de terça e sábado aqui em casa”, conta.

Rosana comanda vendas na conhecida Feira da Rô (Tiago Rossi/Divulgação)

Rosana conta também com o apoio do esposo e dos filhos na gestão do negócio e destaca que o fato de ser uma mulher à frente das vendas é sinônimo de orgulho. “Gosto muito de trabalhar no comércio, principalmente nesse tipo de negócio de feira. Nunca tive problemas por ser mulher nesse meio, nunca me senti inferiorizada ou sofri algum preconceito. Devo ter muita sorte”, frisou.

Além do hortifruti, ainda há opções de doces caipiras e outros quitutes artesanais. Os pagamentos podem ser feitos também com cartões. A Feira da Rô fica na Avenida Getúlio Vargas, 2.133 – quase defronte ao Mercado Bela Vista e ao lado da agropecuária. Encomendas e outras informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3843-7231.

Publicidade - Anuncie aqui