Apolinário encaminhou doação ao Museu (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Apolinário encaminhou doação ao Museu (Divulgação)
Apolinário encaminhou doação ao Museu (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui

do Megaphone Cultural

O Museu Municipal Histórico e Pedagógico ‘Comendador Virgolino de Oliveira’ recebeu uma nova doação de relíquias relacionadas à Revolução Constitucionalista de 1932.

Desta vez, o acervo que remonta à história da guerra entre as tropas paulistas e federais na qual Itapira foi palco muitas batalhas ganhou o aporte de uma carabina de origem alemã, além de dezenas de munições intactas e deflagradas da arma, bem como munições de pistola.

A doação foi feita por uma família residente na região do Morro do Gravi, localidade que abrigou uma das mais sangrentas batalhas e que deixou dezenas de soldados mortos nas trincheiras abertas às margens da estrada interna entre Itapira e Mogi Mirim. Segundo o relato da família, a arma e as munições ficaram guardadas no porão da casa por 84 anos. Os avós do doador, que ficaram na residência mesmo durante os combates ocorridos entre 1 e 4 de setembro de 1932, receberam o material de um soldado paulista que abandonou o setor, em troca de roupas civis.

O destino inicial da doação foi o Núcleo M.M.D.C. de Itapira, órgão destinado a pesquisas e preservação da memória dos fatos da Revolução no município. Contudo, o presidente do Núcleo, Eric Lucian Apolinário, repassou o armamento ao acervo do Museu, no qual também atua como diretor. “Esta doação é de extrema importância, não apenas pela raridade das peças, mas principalmente pelo seu contexto histórico, já que elas foram empregadas na chamada ‘resistência’ de Itapira durante as horas mais terríveis nos arredores do Morro do Gravi”, comentou.

“Vale lembrar que nos últimos anos, através da confiança da população no trabalho do Núcleo, algumas peças muito interessantes foram incorporadas ao acervo do Museu Histórico e Pedagógico como um capote original usado pelas tropas federais e paulistas para aguentar o frio extremo das montanhas de Eleutério e também o lote de munições de fuzil encontrado no Ribeirão da Penha, outro incrível achado para as pesquisas sobre os acontecimentos 1932”, acrescentou Apolinário.

A apresentação da nova doação foi feita por ele na tarde da última quarta-feira, 4, no próprio Museu, ao lado do secretário municipal de Cultura e Turismo, Marcelo Dragone Iamarino. De acordo com Eric, a carabina modelo Geco foi fabricada na Alemanha em 1922 pela empresa Gustav Genschow&Co. “A partir de 1924 esta empresa começou a comercializar suas armas para toda a América Latina, principalmente para as polícias, incluindo o Brasil. Supomos que, talvez, esta arma possa ter pertencido a algum soldado da própria Força Pública (atual Polícia Militar) que possuía um batalhão combatendo na região do Gravi em Setembro de 1932”, explicou. Apolinário reforçou o apelo para que as pessoas que possuam materiais referentes à Revolução mantenham contato com o Núcleo ou com o Museu. “É importante que material fotográfico ou de qualquer outro tipo seja devidamente preservado”, finalizou.