Primeira câmera foi instalada em um dos principais acessos da cidade
Publicidade - Anuncie aqui também!
Primeira câmera foi instalada em um dos principais acessos da cidade
Primeira câmera foi instalada em um dos principais acessos da cidade
Publicidade - Anuncie aqui

A primeira de um total de 13 novas câmeras de videomonitoramento deve começou a operar nesta segunda-feira (05), em Itapira. O equipamento foi instalado na semana passada, mais precisamente no dia 29, à rua Armando Salles de Oliveira, continuação da Francisco de Paula Moreira Barbosa, no alto do São Vicente.

As demais câmeras devem entrar em operação paulatinamente, conforme as instalações progredirem. A coordenação do sistema fica a cargo da GCM (Guarda Civil Municipal), que também ganhou nova sala destinada à central de monitoramento.

O diretor da corporação, Cícero Firmino de Souza, explicou que não há como mensurar um prazo específico para que todas as câmeras comecem a operar. “O processo de conclusão (da instalação das câmeras) depende da firma (que trabalha na instalação), não tenho como estipular uma data”, comentou. Por motivos estratégicos, Souza preferiu não revelar os pontos em que as outras 12 câmeras serão instaladas.

De acordo com Souza, como o objetivo do monitoramento que funcionará 24 horas por dia é inibir ou flagrar possíveis ações criminosas, “é bom não divulgar onde as câmeras serão instaladas”. Segundo ele, uma das expectativas é que os novos equipamentos de vigilância em tempo real ajudem a reduzir os índices de furtos. “Quando trabalhei em Mogi Mirim (também frente à GCM do município), conseguimos reduzir em 80% os casos de furtos na área central com a implantação de câmeras”, ilustrou.

Qualquer anormalidade detectada durante o monitoramento será repassada a Cecom (Centro de Comunicação) da GCM, que fará a comunicação às viaturas em patrulhamento pela área afetada. Segundo Souza, as 13 câmeras a serem instaladas não se integram às já em operação, que servem ao Departamento de Trânsito da Secretaria Municipal de Defesa Social.

A instalação está a cargo de uma empresa de São José do Rio Preto-SP, contratada pela Prefeitura. Além delas, o sistema envolve outros equipamentos necessários ao funcionamento, como redes de fibra óptica para transmissão dos dados em tempo real, além da estrutura da central de monitoramento e treinamento de pessoal. O custo total do projeto é de R$ 489,5 mil e integra um convênio assinado pelo município, no ano passado, com a Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública), responsável também pela implantação do projeto da Base Comunitária Móvel da GCM.