Usuários do transporte coletivo terão de arcar com passagem mais cara em Itapira (Arquivo)
Usuários do transporte coletivo terão de arcar com passagem mais cara em Itapira (Arquivo)
Usuários do transporte coletivo terão de arcar com passagem mais cara em Itapira (Arquivo)

O prefeito José Natalino Paganini (PSDB) autorizou o aumento da tarifa cobrada nos ônibus que operam emergencialmente em Itapira por meio da Expresso Fênix.

O decreto que eleva de R$ 3,30 para R$ 3,70 o valor da passagem na catraca dos coletivos foi assinado na última quinta-feira (5) e publicado nesta sexta-feira (6) no Jornal Oficial de Itapira, editado pela administração. O aumento representa um acréscimo de 12% sobre o atual valor, colocando mais R$ 0,40 no preço de cada passagem.

O texto estipula que “o valor da tarifa única a ser cobrada dos usuários de todos os itinerários do serviço público de transporte coletivo urbano de passageiros fica fixado em R$ 3,70 (três reais e setenta centavos)” e que o reajuste passa a vigorar a partir de segunda-feira (9).

Em nota remetida ao Itapira News, a Fênix informou que o valor de R$ 3,70 será válido tanto para a tarifa paga em dinheiro dentro dos coletivos como quando adquirida antecipadamente em cartões do sistema de bilhetagem eletrônica. Para os estudantes, a tarifa será de R$ 1,85, correspondente a 50% do valor integral da passagem e que deverá ser adquirida antecipadamente em cartões.

Ainda segundo a empresa, embora haja legislação que determina que vales-transportes percam sua validade decorridos 30 dias da data do reajuste tarifário, “por liberalidade a Expresso Fênix estenderá o prazo por mais 30 dias, totalizando 60 dias de validade”. Com isso, segundo confirmado pela empresa, os créditos adquiridos antecipadamente pelo valor de R$ 3,30 ainda serão válidos até o dia 10 de março de 2017. O decreto do prefeito também revoga um decreto de julho de 2015 que autorizou a então concessionária do serviço – Viação Itajaí – a cobrar R$ 3,30 pela tarifa. A Expresso Fênix está operando emergencialmente em Itapira desde o ano passado. A contratação por seis meses, contudo, poderá ser prorrogada, já que a licitação para contratação definitiva de empresa pelo prazo de 15 anos foi paralisada pelo TCE/SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo).

Publicidade - Anuncie aqui