Prefeito e secretário de Saúde durante reunião (Divulgação)
Publicidade    
Publicidade - Anuncie aqui

O prefeito José Natalino Paganini (PSDB), ao lado do secretário municipal de saúde, Wagner Loureço, e da chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Josemary Apolinário – se reuniu na tarde da última segunda-feira (22) com presidentes e dirigentes de entidades assistenciais do município para pedir apoio no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e também da Febre Amarela.

Paganini explicou sobre a ação que ocorrerá neste sábado (27) em todos os prédios públicos e pediu para que as entidades também participem desse movimento, envolvendo não apenas seus colaboradores, mas também os moradores ao entorno.

Falando sobre a importância desse engajamento no combate ao mosquito, ele sugeriu que a Vigilância Epidemiológica capacite os funcionários das entidades e, se possível, que iniciem um trabalho semelhante ao que ocorre na Prefeitura, com a Brigada do Aedes. “Algumas entidades, classificadas como prédios especiais, já recebem regularmente a visita dos agentes do Controle de Vetores. Mas a nossa ideia é que em cada entidade tenha uma ou mais pessoas com esse olhar de prevenção e de cuidado”, disse.

O prefeito salientou que o município terminou 2017 com apenas nove casos de dengue, mas a Secretaria de Saúde está intensificando o trabalho de orientação e capacitação da população não apenas em relação à dengue, mas também sobre a Febre Amarela e a vacinação.  No último dia 16, a OMS emitiu um comunicado em que classifica todo o estado de São Paulo como área de risco de contágio por febre amarela. A preocupação das autoridades é que devido à transmissão da doença pelo mosquito, possa acontecer uma epidemia urbana. “Por isso estamos com todas essas ações. Estamos trabalhando com a prevenção”, resumiu o prefeito.

Prefeitura quer colaboração de entidades na luta contra mosquito (Divulgação)