Maritaca foi recolhida por Oliveira e encaminhada à Clínica Xodó (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Em uma ação rápida – cerca de 20 minutos – a Patrulha Ambiental conseguiu evitar um ato de tráfico de animais silvestres em Itapira, impedindo a comercialização de um filhotinho de maritaca. A ave foi colocada à venda em um grupo de anúncios no Facebook, mas a publicação chegou ao conhecimento do chefe da Patrulha Ambiental, Rogério Oliveira.

Rapidamente o órgão conseguiu apurar o endereço e o telefone da pessoa responsável pelo anúncio publicado na rede social – uma mulher de 25 anos que se assustou com a chegada da viatura da Patrulha acompanhada de uma equipe da GCM (Guarda Civil Municipal).

Ela disse que desconhecia que a prática configurava crime ambiental e que encontrou a ave. “Ela afirmou que, como não sabia como proceder, resolver tentar vender a maritaca”, comentou Oliveira. A responsável pelo anúncio foi autuada em R$ 1 mil com base na Lei Municipal de Combate a Maus Tratos e a ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia, com registro de crime ambiental previsto em legislação federal.

As maritacas são aves silvestres protegidas por lei. O filhote que estava sendo vendido foi recolhido pela Patrulha Ambiental e levado à Clínica Veterinária Xodó para avaliação e posterior soltura em seu habitat natural.