Agentes da Patrulha Ambiental voltaram a atuar contra posse ilegal de pássaros (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A Patrulha Ambiental de Itapira voltou a fazer apreensões de aves silvestres que eram ilegalmente mantidas em cativeiro.

Foram dois casos distintos ocorridos na última segunda-feira (27) – data em que o órgão municipal completou cinco anos de atuação.

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitte

A primeira investida foi em uma residência na Rua Abdon Pereira da Silva, na Vila Penha do Rio do Peixe. No local foram encontradas gaiolas com três canários-da-terra, duas coleirinhas e um sabiá.

A condução do responsável à Delegacia de Polícia foi dispensada em razão de sua idade avançada.

No mesmo bairro, mas na Rua José Serra, a Patrulha também foi averiguar uma denúncia, desta vez com apoio da GCM (Guarda Civil Municipal). No local foram enocntradas mais quatro aves sem sem registro, sendo um cardeal, dois canários-da-terra e uma coleirinha.

Neste caso, o responsável foi conduzido à Delegacia de Polícia. As duas ocorrências foram nos termos da Lei Federal de Crimes Ambientais.

“As medidas administrativas e aplicação da penalidade de multa seguem de acordo com a Lei Municipal de Combate a Maus Tratos. As aves apreendidas serão avaliadas se estão aptas para soltura”, comentou o chefe da Patrulha Ambiental, Rogério Oliveira. De acordo com ele, o valor da multa por cada ave é de R$ 500,00.