Piscina pública sofre atos recorrentes de vandalismo, diz Secretaria (Reprodução) (2)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Piscina pública sofre atos recorrentes de vandalismo, diz Secretaria (Reprodução)
Piscina pública sofre atos recorrentes de vandalismo, diz Secretaria (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui

A Piscina Pública ‘Geraldo Cintra Machado’, localizada no Conjunto Habitacional ‘Humberto Carlos Passarela’, está temporariamente interditada. O motivo é um ato de vandalismo registrado nos últimos dias que culminaram em diversos danos na estrutura do espaço anexo o Ginásio de Esportes ‘José Bonifácio Coutinho Nogueira’.

Segundo informado pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, a piscina não abrirá neste feriado de carnaval. “Desde o começo do ano o local sofre invasões durante vários períodos do dia, principalmente no período noturno. Durante esta semana a invasão foi seguida de muito quebra-quebra”, destacou nota da pasta municipal.

Além de prejudicarem o trabalho de tratamento da água, os invasores ainda arremessam blocos de concreto e de cerâmica e até fraldas descartáveis no interior da piscina, além de cigarros e latas de bebidas. “Ocorrem também a depredação nos chuveiros, vestiários e depósitos de materiais”, complementou a nota. Segundo apurado pela reportagem, até mesmo bombas foram arremessadas no ginásio. Refletores também foram quebrados.

O secretário municipal de Esportes e Lazer, Luiz Domingues, lamentou as ações e pediu conscientização. “Temos aulas de natação durante a semana e que foram comprometidas. Fora o risco de afogamento, pois nos períodos em que a piscina está fechada não tem salva-vidas. Esse local será revisto após o carnaval. Temos que realizar um trabalho integrado com as polícias e tentar a conscientização”, disse.

Ainda de acordo com a Secretaria, a GCM (Guarda Civil Municipal) promove rondas periódicas nas imediações para tentar inibir a atuação dos vândalos. Vigias que atuam no local são ameaçados e ficam impossibilitados de tomar providências. Os atos de vandalismo, contudo, costumam ser praticados durante a ausência do funcionários que atuam no local. A pasta pede à população que colabore denunciando as invasões e ligando para a Guarda Civil Municipal para a Polícia Militar quando os atos estiverem ocorrendo.