Vista a partir do Morro do Cruzeiro, um dos principais pontos com potencial turístico no município (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Aprovado por unanimidade no dia 31 de agosto pela Câmara de Vereadores, o Plano Diretor de Turismo de Itapira (PDTI) foi instituído oficialmente no dia 6 deste mês, quando foi publicada no Jornal Oficial de Itapira a Lei Complementar nº 5.630, de 01 de setembro de 2017, que institui o Plano Diretor de Turismo de Itapira e dá outras providências).

A construção do documento se deu através da participação popular em duas audiências públicas abertas a todos os interessados realizadas nos dias 31 de julho e 14 de agosto na Casa da Cultura. Nos dois encontros, os participantes discutiram e definiram pontos essenciais do planejamento, dentre eles o segmento turístico a ser trabalhado pelo município (Turismo Rural) e a análise e aprovação das ações e metas dos 13 eixos do Plano Diretor.

Toda documentação aprovada já foi apresentada na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo para o requerimento da inclusão de Itapira no programa MIT (Município de Interesse Turístico). Caso o município seja contemplado, passará a receber recursos estaduais para fomento do setor. Desde o início deste ano, a Secretaria de Cultura e Turismo está fazendo o mapeamento dos pontos turísticos, das propriedades rurais, dos produtores artesanais e demais empreendimentos que compõem o setor turístico da cidade e está preparando seu primeiro roteiro turístico.

Em relação aos atrativos naturais, a pasta está em processo de avaliação dos pontos e, em alguns casos, no estudo para criação de regras de acesso e exploração. Um desses casos é o Morro do Cruzeiro, um local privilegiado naturalmente e que há duas décadas vivenciou seu auge no uso da pratica de ações de esporte, lazer e turismo. Com 1.240 metros de altitude é dos principais atrativos turísticos naturais do município. Em seu cume é possível ter uma visão de 360º da região podendo se avistar facilmente as cidades vizinhas do estado de São Paulo e também do sul de Minas.

Sem uma gestão especifica e acompanhamento das atividades que ocorriam no local, ocorrências como depredação, vandalismo, uso de drogas e princípios de incêndios tornaram-se frequente, o que propiciou o fechamento do acesso primeiramente de forma restrita e depois definitivamente. Com a força dos Circuitos Turísticos da região, principalmente os setores de turismo de aventura e rural, é notório o potencial turístico que o Morro do Cruzeiro apresenta. Sua importância para agregar e potencializar os objetivos estabelecidos hoje no planejamento turístico da cidade é imensurável. Entretanto a ativação de um espaço como esse requer um planejamento especifico. De acordo com as diretrizes do Plano Diretor de Turismo de Itapira, o Morro do Cruzeiro é classificado como um atrativo natural.

Portanto, para ser considerado como um atrativo turístico é necessário um processo de formatação com adequações de acesso, controle de visitação, sanitários, segurança, atendimento de emergência médica, entre outras. Desta forma, com o objetivo de estabelecer as melhores condições estruturais e de gestão para o uso do Morro do Cruzeiro como atrativo turístico, a Secretaria de Cultura e Turismo seguirá as orientações do Plano Diretor de Turismo, com ações em curto, médio e longo prazo, como a análise do local e sua infraestrutura e a elaboração de um plano de ação para esse atrativo em específico.