Plantão na Delegacia de Itapira funcionará das 8h00 às 18h00 nos dias de semana (Paulo Bellini/ItapiraNews)

A CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Mogi Guaçu passará a ser o endereço de registro de todas as ocorrências policiais das cidades de Itapira, Mogi Mirim, Estiva Gerbi e Mogi Guaçu nos períodos noturnos das 18h00 às 8h00 e também aos finais de semana e feriados.

A mudança começa a valer na próxima quinta-feira, dia 1º de abril. Na prática, as unidades policiais de todas estas cidades que precisarem apresentar uma ocorrência terão que se deslocar até o município guaçuano.

O plantão policial na Delegacia de Polícia somente receberá as ocorrências durante os dias de semana entre 8h00 e 18h00. A justificativa para a alteração, determinada pela Delegacia Seccional de Mogi Guaçu, é a racionalização dos recursos humanos disponíveis atualmente.

A mudança resulta diretamente da falta de funcionários nas delegacias, quadro que vem se complicando há anos em todo o Estado de São Paulo. O delegado titular de Itapira, Anderson Cassimiro de Lima, afirma que a mudança foi a única alternativa neste momento.

“É algo necessário diante da falta de pessoal. Essa mudança foi discutida junto com a administração superior de forma a otimizar nossos recursos humanos. E essa fórmula não é nova, a unificação dos plantões já tem sido usada na região de Jaguariúna e deu certo”, disse.

O delegado, entretanto, reconhece que a melhor solução seria que cada cidade continuasse tendo seus plantões para apresentações das ocorrências sem que as viaturas precisassem deixar o município.

Questionado se a mudança deverá trazer prejuízos ao policiamento nas cidades, Lima ponderou que, exceto pelo deslocamento rodoviário, as viaturas empenhadas em alguma ocorrência também permanecerão momentaneamente fora do patrulhamento durante o registro, assim como já ocorre no plantão.

“Não há dúvida que o atendimento na própria cidade é sempre melhor. Mas, naturalmente, as viaturas já ficam paradas na delegacia quando estão apresentando uma ocorrência. O que objetivamos é justamente agilizar esse processo, já que a CPJ conta com equipe completa e delegado presente fisicamente, o que deverá reduzir o tempo de apresentação de um flagrante, por exemplo, liberando mais rapidamente os policiais e guardas para retornarem às ruas”, explicou.

  • SEM PESSOAL

De acordo com o delegado, atualmente o registro de uma ocorrência com flagrante pode demorar até quatro horas no plantão, quando não mais. Com a centralização em Mogi Guaçu, a ideia é que esse processo seja mais ágil justamente em razão do maior número de policiais e presença constante de um delegado.

“Com isso, também conseguiremos liberar o pessoal da Delegacia de Itapira para atuar nas investigações, na atividade-fim da Polícia Civil, pois hoje muitos deles acabam ficando empenhados nos plantões”, destacou.

O delegado seccional José Antônio Carlos de Souza disse que, futuramente, pretende levar o plantão unificado para a região da divisa entre Mogi Mirim e Mogi Guaçu, na Avenida Mogi Mirim.

Hoje, o plantão regional funcionará na CPJ, que fica na Avenida Emília Marchi Martini, 370. Ele também falou sobre os objetivos da mudança.

“Não faz sentido cada cidade ter seu próprio plantão, normalmente com apenas um policial de serviço. O que vamos fazer é racionalizar nossos recursos humanos, com os objetivos principais de melhorar o atendimento à população e reforçar as atividades policiais”, argumentou.

Assim como o delegado titular de Itapira, o secional também aposta que o plantão unificado resultará em um serviço mais ágil em razão da equipe completa, melhorando as atividades nas delegacias de cada cidade. “Com a falta de crônica de pessoal, temos que racionalizar nossos recursos humanos, priorizando as investigações e o combate ao crime”, considerou.

  • ONLINE

Ambos os delegados destacaram que a utilização do sistema eletrônico para registro de ocorrências cresceu cerca de 80% nos últimos tempos. Atualmente, somente ocorrências de latrocínio, homicídio e estupro não podem ser registradas via internet.

Já crimes como roubos, furtos, estelionatos e ameaças, por exemplo, podem ser registradas pela Delegacia Eletrônica no site da Delegacia Eletrônica da Polícia Civil.

O delegado Anderson Cassimiro de Lima também reiterou que muitas ocorrências atendidas pela Polícia Militar já não são encaminhadas imediatamente aos plantões, sendo registradas posteriormente por meio de ofícios. A ideia é estender essa possibilidade também aos guardas civis municipais.

Publicidade - Anuncie aqui