Publicidade - Anuncie aqui também!
Cavalo de Aço: operação tem foco especial a roubos e furtos praticados por bandidos motorizados
Cavalo de Aço: operação tem foco especial a roubos e furtos praticados por bandidos motorizados
Publicidade - Anuncie aqui

A Polícia Militar intensificou as operações com equipes de Rocam (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas) no município.

Batizada de ‘Cavalo de Aço’, a mais recente investida, na tarde de quinta-feira (23), terminou com um saldo de 40 indivíduos abordados, sendo 28 na condução de motocicletas e 12 transeuntes.

A operação aconteceu na região do Nosso Teto e adjacências e teve foco especial em motos, motivada pelos modus operandi de criminosos no município, especialmente em ocorrências de roubos, que atuam com esse tipo de veículo. Três motocicletas foram recolhidas por apresentarem irregularidades administrativas e, apesar de ninguém ter sido preso, o resultado da intervenção foi considerado satisfatório.

“O balanço é positivo, conseguimos abordar muitas pessoas e foram lavrados seis autos de infração. Não fizemos nenhum flagrante, e não tivemos nenhuma ocorrência mais grave durante a operação. Esperamos que, na próxima oportunidade, tenhamos resultados ainda melhores”, comentou o tenente Luís Gustavo Aparecido Tuckumantel, que comandou a operação.

Ação envolveu policiais de Itapira e Mogi Guaçu
Ação envolveu policiais de Itapira e Mogi Guaçu

O trabalho envolveu oito motocicletas da Rocam – sendo duas da 3ª Cia da PM, em Itapira, e seis vindas do 26º BPM/I (Batalhão da Polícia Militar do Interior), em Mogi Guaçu, além de uma viatura de Força Tática, também do Guaçu, com apoio de uma viatura de Rádio Patrulha de Itapira.

Ao todo, 12 policiais trabalharam na ação. “A intenção com essas operações é realizar pontos de bloqueio e saturação em bairros onde os índices criminais estejam mais elevados. Pelas características de Itapira, com terreno acidentado e modo de agir dos criminosos, a prioridade são as abordagens a motocicletas”, explicou.

Segundo Tuckumantel, essas operações serão cada vez mais comuns nas cidades abrangidas pelo 26º BPM/I. “Usamos o fator surpresa como parte da estratégia de trabalho. A intenção é realmente pegar o criminoso desprevenido, flagrá-lo em situação ilícita. As equipes atuam em conjunto, em determinados pontos, e em outros se separam, de forma a reprimir o crime e proporcionar a sensação se segurança ao cidadão de bem”, concluiu.