Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Depois das sete prisões ocorridas após o assassinato do policial militar Alan de Souza Melo no Recinto Agropecuário, em Itapira, a Polícia Civil segue investigando outras pessoas que podem ter envolvimento com o caso.

O SIG (Serviço de Investigações Gerais) está agora focada em uma linha de investigação que pode apontar o possível ‘mentor’ do roubo que terminou com a morte prematura e violenta do soldado.

Segundo o investigador-chefe do SIG, Daniel Portilho, algumas diligências já foram realizadas, mas nenhum detalhe a mais será divulgado neste momento para não atrapalhar os trabalhos.

A fuga de cinco dos criminosos momento após o roubo e a morte do PM e a forma com que as armas teriam chegado ao Recinto são alguns dos fatos que ainda intrigam o delegado Anderson Cassimiro de Lima.

A suspeita é que ao menos mais uma pessoa teria participado do crime – podendo, inclusive, ser alguém que trabalhava dentro do recinto e que teria apontado aos ladrões o local para onde o dinheiro recolhido da praça de alimentação era levado no final da noite.

“Esses pontos fazem entender que há mais pessoas envolvidas no roubo, mas ainda é prematuro dizer alguma coisa. Estamos iniciando as investigações neste sentido”, comentou Daniel Portilho. Do total de aproximadamente R$ 80 mil que estaria no malote roubado, apenas R$ 360,00 foram encontrados após o crime.